web analytics
  • livros

    Resenha: Batendo à Porta do Céu

    Resenha: Batendo à Porta do Céu

    Livro: Batendo à Porta do Céu
    Autor: Jordi Sierra i Fabra
    Editora: Biruta
    Rating: [rating=5]
    Skoob


    Sinopse
    Uma jovem estudante de medicina decide abrir mão de seu conforto, de sua família e de seu namorado para trabalhar como voluntária em um hospital na Índia, durante as suas férias de verão. Em sua jornada, Sílvia conhece as peculiaridades de um país muito diferente do seu, convive com a pobreza e conhece pessoas que se tornarão muito especiais e importantes em sua vida, como o voluntário Leo, a médica Elisabet Roca, as pequenas Viji e Narayan e o misterioso Mahendra.
    Inspirado em um caso trágico de uma voluntária espanhola, Batendo à Porta do céu expõe as reflexões da jovem Sílvia ao se deparar com a precariedade da infraestrutura indiana, as perdas, o medo e si própria. Sílvia mergulha em um momento de autoconhecimento, em que se questiona sobre o amor e suas variações, sobre a importância do apoio da família e sobre o valor da vida. Sua vontade de evoluir como médica cresce, ao mesmo tempo em que suas convicções vão sendo fortalecidas.
    De forma cativante, o autor Jordi Sierra i Fabra sensibiliza o leitor com suas indagações, e também com a realidade indiana, que se contrasta tanto com a vida da jovem espanhola.


    Capa & Diagramação

    Eu consigo ficar olhando e olhando esse livro por vários minutos! As diagramações da Editora Biruta são perfeitas e esse livro não é exceção. A orelha do livro é grande e a guarda (parte de dentro da capa) é simplesmente linda! As transições de “fases” da história também trazem páginas decoradas. Eu tenho a impressão de que as páginas são ligeiramente rosadas já que não são brancas nem são como as amareladas comuns.

    Resenha: Batendo à Porta do Céu

    Personagens, Enredo & Impressões gerais

    Pedi esse livro à Editora Biruta pois queria conhecer alguns dos livros mais “maduros” do catálogo. A obra me surpreendeu em beleza estética e, ainda mais em conteúdo!

    Eu morro de vontade de conhecer a Índia mesmo sabendo da miséria, da falta de segurança e falta de condições humanas para se viver e até mesmo para se visitar. A magia da cultura, da religião e a força do povo é o que me motiva a conhecer o lugar ainda que as condições sejam precárias.

    Resenha: Batendo à Porta do Céu

    Me surpreendi ao saber (ao final da leitura) que quem escreveu o livro foi na verdade um homem pois as nuances de ser uma jovem mulher vivendo vários dramas diferentes foi captada de forma delicada e suave.

    “Às vezes tenho medo de que a vida passe muito rápido, sem me dar tempo de fazer tudo o que quero. Outras vezes tenho medo de ser inútil, o que seria terrível pra mim. Não quero chegar ao último suspiro sem ter esgotado minhas possibilidades, sem saber que minha passagem pela Terra valeu a pena. Quero morrer saciada, e este, infelizmente, é um mundo que necessita que muitas pessoas se dediquem a ele.”

    A trajetória de Sílvia é uma lição de vida inspiradora e poética. O autor combinou de forma harmoniosa a confusa fase de escolhas profissionais, autoconhecimento e descobrimentos amorosos com o que a Índia tem de melhor e pior a oferecer.

    Jordi Sierra conseguiu unir vários temas que são comumente explorados como problemas familiares, dúvidas amorosas, relação com a morte e com a doença e descoberta de outras culturas de forma totalmente livre de clichês. O livro não traz grandes emoções e momentos épicos mas de maneira alguma eu diminui meu ritmo de leitura durante toda a história.

    Resenha: Batendo à Porta do Céu

    A escrita de Jordi é um deleite de tão suave mesmo tratando de temas fortes e sérios. O final foi diferente do que eu imaginei e mesmo assim me agradou pela simplicidade e pelo crescimento pessoal de cada personagem. Esse livro virou meu queridinho e não poderia dar menos que cinco estrelas!

    Resenha: Batendo à Porta do Céu

    Você vai gostar se: histórias inspiradoras, superação, aprendizagem.
    Não leia se não gosta de: Índia, livros sem muita ação.
    Ideias centrais: Índia, hospital, trabalho voluntário.

  • eventos,  livros

    Evento: #MochilãodaRecord em Belo Horizonte

    Evento: #MochilãodaRecord

    Oi Romantics!

    Ontem teve Mochilão da Record aqui em Belo Horizonte e eu vou contar para vocês um pouco de como foi o evento. As fotos não ficaram lá essas coisas porque a iluminação não estava boa e eu não queria ficar com o flash da câmera na cara das pessoas o tempo todo (#ninguemeobrigado).

    Primeiro, conhecemos o pessoal da Editora Record, o Guilherme (gerente de marketing) e a Shirley (coordenadora de merchandising). Eles são muito descontraídos e engraçados e apresentaram as novidades da editora para os leitores.

    Evento: #MochilãodaRecord

    Eles trouxeram um exemplar de Os Lugares Mágicos para todo mundo poder ver, pegar e amar. O livro será lançado na segunda quinzena de julho.

    Evento: #MochilãodaRecord

    Teve recadinho da Sophie Kinsella para os fãs brasileiros avisando que ela vem à Bienal de 2015.

    Evento: #MochilãodaRecord

    E teve a convidada especial de BH, a autora Marina Carvalho, que falou um pouco de como é estar com a Record agora, falou do livro Elena e respondeu várias perguntas do pessoal.

    Evento: #MochilãodaRecord

    Esses eram os livros que eles sortearam (tinha até mais que isso pois eles adicionaram depois). O pessoal que era sorteado girava essa roleta para ver qual livro ganharia. Eu, muito sortuda sempre, não ganhei nada :/ O Guilherme e a Shirley também sortearam mochilas cheias de livros mas para ganhar as pessoas tinham que responder algumas perguntinhas.

    Evento: #MochilãodaRecord

    Eu conheci e peguei autógrafo com a fofa da Marina Carvalho! Levei meu livro favorito dela, Azul da Cor do Mar (resenha).

    Evento: #MochilãodaRecord

    Todo mundo que foi ganhou esse kit com marcadores, door hanger (tem nome em português pra isso?), um bloquinho, um bóton e uma sacola.

    Evento: #MochilãodaRecord

    Evento: #MochilãodaRecord

    ELes trouxeram vários outros livros para mostrar e fiquei morrendo de vontade de ler Naomi e Ely do David Levithan e Brilhantes do Markus Sakey. Amei a experiência de conhecer o pessoal da editora e conhecer booktubers e amantes da leitura da minha cidade! Espero que venham mais vezes!

  • livros

    Resenha: A Playlist de Hayden

    Resenha: A Playlist de Hayden

    Livro: A Playslit de Hayden
    Autor: Michelle Falkoff
    Editora: Novo Conceito
    Rating: [rating=3]
    Skoob
    Goodreads


    Sinopse
    Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente

    Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.


    Capa & Diagramação

    Tanto a capa quanto a diagramação estão perfeitas! A capa é simples trazendo muito destaque ao título e utilizando-se das silhuetas dos personagens que agrada a tanta gente. É, sem dúvida, uma capa que me faria comprar um livro sem nem mesmo ler a sinopse. A diagramação interior está limpa e condizente com o visual geral do livro. Amei!

    Resenha: A Playlist de Hayden

    Personagens, Enredo & Impressões gerais

    O suspense criado pela autora sobre o que aconteceu na noite que pode ter desencadeado o suicídio de Hayden é um dos pontos altos do livro. O ritmo em que as descobertas vão sendo feitas ao longo da história é fluido e sempre quando achamos que temos informações reveladoras e úteis, descobrimos que elas geram ainda mais perguntas e questionamentos.

    Ao decorrer da pesquisa de Sam, muitos personagens interessantes surgem na história, inclusive Astrid, uma personagem misteriosa que se mostra uma peça fundamental nas descobertas de Sam e no seu crescimento pessoal.

    Resenha: A Playlist de Hayden

    A maneira como cada personagem lida com a culpa é um outro ponto relevante já que cada um se enxerga com uma carga de culpa na morte de Hayden. A culpa é um sentimento silencioso mas mesmo assim a autora teve muita habilidade para fazer isso transparecer na obra. Puxado por esse sentimento vem também a aceitação de que o fato já aconteceu e não pode ser mudado. Todo esse jogo de sentimentos tão difíceis de serem descritos foi muito bem abordado por Michelle.

    A inserção de elementos nerds traz um ar interessante e leve para a jornada de descobertas de Sam. Elas atuam como momentos de respiro dentre as revelações, o luto e sua vida escolar, além de mostrar um pouco da profundidade de sua amizade com Hayden. Donnie Darko, The Walking Dead e Star Wars são algumas das referências que eu pude perceber ao longo da história.

    Resenha: A Playlist de Hayden

    A estrutura principal do livro consiste em descobrir e entender porque Hayden cometeu suicídio na noite da festa. Tudo que gira entorno desse suspense e das descobertas foi bem estruturado, intrigante e instigante. Porém, todo o entorno que poderia ter sido trabalhado para adicionar à história, como romance, novas amizades, questionamentos internos de Sam, seu luto e talvez alguma carga de humor ou momentos felizes deixou a desejar. Desse ponto de vista o livro foi insosso. Acho que eu tinha muita expectativa na capa e na sinopse.

    A playlist montada por Hayden acompanha todo os capítulos e, sem dúvida, a jornada vivida por Sam o ajuda a passar por uma parte da fase de luto, a se descobrir e a crescer pessoalmente. No entanto, mesmo após ter terminado a leitura, eu senti uma necessidade de saber porque esse conjunto de músicas era tão importante para Hayden ou talvez um significado mais profundo para a seleção de músicas.

    “Muitas pessoas querem ser invisíveis. Talvez elas até pensem que podem fingir que são. Mas sempre alguém as vê.”

    Devo dizer que o hotsite feito pela Novo Conceito com toda a playlist disponível foi extremamente positivo para minha experiência de leitura! Quando eu tinha a oportunidade de escutar a playlist enquanto lia, o sabor das palavras e das emoções eram muito acentuados. Aconselho muito que você escute as músicas durante a leitura! Eu relembrei de algumas músicas e descobri outras bem legais!

    Ouça a Playlist

    Vale a pena ler caso você curta leituras sobre perda e superação, além de livros que tenham uma relação forte com música e com a cultura nerd.

    Resenha: A Playlist de Hayden

    Você vai gostar se: gostou de Cartas de Amor aos Mortos, cultura nerd e música.
    Não leia se não gosta de: bullying, suicídio, luto, superação.
    Ideias centrais: suicídio, perda, mistério, playlist, culpa.

  • livros,  novidades

    Novidades: Maio

    Oi Romantics!

    Prontos para ver o que eu tenho de novidade nesse mês que passou? Não fiz o post de novidades do mês passado porque eu só tinha um livro para mostrar. Resolvi deixar acumular com os livros de maio para mostrar pra vocês.

    Compras, Trocas & Livros Emprestados

    Recebi esse livro no mês passado mas eu não porque :/ Foi enviado pela Editora Record e eu não tenho parceria com eles (infelizmente). Ninguém me avisou se eu ganhei algum sorteio para que eu informasse o endereço. Acho que pode ter sido aqueles sorteios de cortesias no Skoob, sabe? Acho que não vou ler tão cedo porque ele é o segundo de uma série e eu não tenho o primeiro.
    Novidades: Maio 2015

    A Editora Novo Conceito está lançando esse livro aqui no Brasil mas eu dei bobeira e não pedi quando os pedidos de parceria estavam abertos porque não tinha lido o primeiro ainda. Porém, nesse meio tempo li o primeiro, me apaixonei e aproveitei para comprar o segundo em inglês para praticar minha leitura na língua. Paguei uns 16 ou 18 reais no Submarino e apesar de ser aquela edição super mega econômica, acho que compensa.
    Novidades: Maio 2015

    Nos últimos meses eu tenho enviado muitos livros requisitados para troca pelo Plus do Skoob. Acabei gastando todos os pontos que eu havia acumulado esse mês e esses foram os livros que eu pedi.
    Novidades: Maio 2015

    Novidades: Maio 2015

    Novidades: Maio 2015

    Novidades: Maio 2015

    O que chegou de parceria

    Estou apaixonadíssima por esse livro que a Editora Biruta me enviou! O legal da parceria com eles é que eu posso pedir qualquer livro do catálogo deles mesmo não sendo lançamento. Deve ser a próxima resenha aqui no blog!
    Novidades: Maio 2015

    Recebi essa amostra de dois próximos lançamentos da Editora Novo Conceito. De um lado é um aperitivo de Eu Te Darei o Sol e do outro um aperitivo de Prometo Falhar.
    Novidades: Maio 2015

    Novidades: Maio 2015

    Recebi também os dois livro que eu havia pedido. Eu acho que as fitas coloridas são relacionadas ao livro da Cecelia Ahern mas acho que só vou descobrir depois de ler, né?
    Novidades: Maio 2015

    Novidades: Maio 2015

    A Playlist de Hayden veio com um bilhetinho e fones de ouvido numa caixinha linda.
    Novidades: Maio 2015

    Novidades: Maio 2015

  • livros

    Resenha: Apenas Um Dia

    Resenha: Apenas Um DIa

    Livro: Apenas Um Dia
    Autor: Gayle Forman
    Editora: Novo Conceito
    Rating: [rating=5] <3 Skoob
    Goodreads


    Sinopse
    A vida de Allyson Healey é exatamente igual a sua mala de viagem: organizada, planejada, sistematizada. Então, no último dia do seu curso de extensão na Europa, depois de três semanas de dedicação integral, ela conhece Willem. De espírito livre, o ator sem destino certo é tudo o que Allyson não é. Willem a convida para adiar seus próximos compromissos e ir com ele para Paris. E Allyson aceita. Essa decisão inesperada a impulsiona para um dia de riscos, de romance, de liberdade, de intimidade: 24 horas que irão transformar a sua vida.
    Apenas um Dia fala de amor, mágoa, viagem, identidade e sobre os acidentes provocados pelo destino, mostrando que, às vezes, para nos encontrarmos, precisamos nos perder primeiro… Muito do que procuramos está bem mais perto do que pensamos.


    Capa & Diagramação

    Capa e diagramação interna perfeitas! Adorei a simplicidade e a elegância!

    Resenha: Apenas Um DIa

    Personagens, Enredo & Impressões gerais

    A Gayle Forman não para de me surpreender! O primeiro livro que li dela, Se Eu Ficar, não me agradou em praticamente nenhum aspecto. A Novo Conceito me enviou o segundo sem eu pedir. Ele era fininho, a capa era bonita e resolvi ler. Gostei bastante! Parece que eu tinha lido uma autora diferente!

    Novamente a Novo Conceito me enviou de surpresa o Apenas um Dia. Simpatizei com a capa logo de cara mas ele ficou atrás de vários outros livros na minha lista de leituras. Até que em um desses feriados peguei essa leitura.

    Resenha: Apenas Um DIa

    O livro está longe de ser perfeito mas os defeitos dele são tão pequenos diante das qualidades, de como ele me fez refletir sobre mim mesma, sobre o valor de pequenos momentos, sobre depressão, sobre tomar a dianteira da sua própria vida, correr atrás do você quer, sobre estrutura familiar e como isso reflete em cada um de nós, dentre outras coisas. Tá vendo? Me identifiquei com alguns dramas trazidos por essa leitura e outros, apesar de não estarem presentes na minha vida, me levaram a reflexão.

    O livro tem seus altos e baixos. Em um certo momento parece que se passam vários capítulos sem progresso algum da história. E acho que isso foi de certa forma intencional pois durante essa fase, a própria personagem se sente encurralada, sem saber o que fazer, desanimada com tudo. Os altos e baixos refletem bastante realidade já que nem sempre estamos por cima da situação e no controle de tudo. Nos sentimos fracos, impotentes e desmotivados em vários momentos. E necessitamos desses momentos para que tomemos impulso para a ação.

    A personagem fica sim meio chata durante essa fase. Mas isso mais uma vez só reflete a realidade introduzida pela autora nessa ficção. Porque sejamos sinceras, alguém aí fica super simpática, linda e divertida durante uma depressão? Acho que não né!

    “Parte de mim sabe que mais um dia não servirá para nada além de postergar o coração partido. Mas outra parte de mim pensa diferente. Nascemos em um dia. Morremos em um dia. Podemos mudar em um dia. E podemos nos apaixonar em um dia. Qualquer coisa pode acontecer em apenas um dia.”

    O personagem de Willem me fez me apaixonar e sentir muita raiva e frustração ao mesmo tempo. Ele é super misterioso mas dá para perceber que ele tem que lidar com várias “nóias” da sua própria vida.

    Allyson passa por tantas coisas diferentes e me fez sentir cada uma de suas emoções junto. Sentimos raiva, saudade, amor, angústia, impotência, desânimo, novas amizades chegando, antigas amizades indo, aquela necessidade de se reinventar, a pressão da escolha da carreira e de atender às expectativas.

    Resenha: Apenas Um DIa

    Foi lindo vê-la passar por momentos difíceis e tomar decisões para mudar sua situação. Foi lindo vê-la crescer como mulher e sem medo de encarar o que a vida poderia lhe trazer. O final me deixo sem ar!

    A continuação do livro se chama Apenas um Ano, foi lançado pela Novo Conceito, e traz a perspectiva de Willem sobre esse período. A Gayle Forman gosta disso né?! Ouvi dizer que tem um conto publicado pela autora intitulado Just One Night! Vou procurar AGORA!

    Você vai gostar se: gosta de romance, personagens que precisam se encontrar, se reinventar.
    Não leia se não gosta de: crise, depressão, mistério, altos e baixos.
    Ideias centrais: romance, viagens, Paris, Amsterdã.

  • livros

    Resenha: Piscina Já!

    Resenha: Piscina Já!

    Livro: Piscina Já!
    Autor: Luiz Antonio Aguiar
    Editora: Biruta
    Rating: [rating=4]
    Skoob


    Sinopse
    Era um Brasil bem diferente.
    Um país debaixo de Ditadura.
    Tem gente que não conheceu esses tempos e nem imagina como foi. Era dureza, chumbo grosso. O Brasil estava um breu na época. E mesmo assim a garotada do Condomínio da Colina partiu para a briga contra a repressão.
    E foi uma aventura dessas que quem viveu nunca esquece!
    Como foi? No que deu?…
    Está contado aqui… em Piscina Já!
    Uma viagem para um tempo em que gente como a gente lutou – de várias maneiras – pela liberdade!


    Capa & Diagramação

    Eu já sabia da fama da Editora Biruta de ter livro esteticamente impecáveis e tudo se confirmou quando eu recebi o primeiro livro de parceria deles junto com dois catálogos lindos.

    O formato e a encadernação estão perfeitos e as ilustrações exercem um papel tão importante nessa publicação quanto o texto.

    Resenha: Piscina Já!

    Personagens, Enredo & Impressões gerais

    O livro é narrado por uma garota de 11 anos que vive no Rio de Janeiro com sua família. Dentre as brincadeiras da garota com sua turma numa vizinhança da classe média carioca o personagem que se destacou, para mim, foi o tal do Tio Zeca.

    Resenha: Piscina Já!

    O Tio Zeca é um cara jovem, simpatizante do Che Guevara, que apresentou Beatles para a molecada mas que um dia simplesmente sumiu.

    O enredo se desenrola enquanto participamos dessa história pela visão da menina e “assistimos” como a família lida com o sumiço de Zeca e, ao mesmo tempo, como a repressão militar acontecia de formas diferentes em lugares diferentes. Até mesmo no Condomínio da Colina onde a família ia passar as férias e feriados a vizinhança foi afetada pela repressão e pelo medo.

    Resenha: Piscina Já!

    Piscina Já! é muitíssimo indicado para leitores de qualquer idade já que o livro trata de um tema que deve ser explorado tanto para quem conhece e viveu nessa época quanto para a galera mais jovem.

    “- Ele é general – disse a Zuzu. – Eles mandam no Brasil. Então mandam aqui no condomínio também.”

    Adorei a bordagem leve e sutil de um tema tão delicado e trágico. O livro é triste mas a narração da um tom de jovialidade e leveza sem igual!

    Resenha: Piscina Já!

    Você vai gostar se: enredos simples, leituras rápidas, Brasil nos anos 80.
    Não leia se não gosta de: ponto de vista infantil.
    Ideias centrais: Ditadura Militar, infância.