web analytics
  • livros

    Maratona Literária de Inverno 2015: Conclusão

    Oi Romantics!

    Acabei não conseguindo gravar um vídeo de conclusão da maratona e para não atrasar mais vou contar tudo para vocês por aqui mesmo. Vou enumerar aqui o que eu li mas você pode assistir das semana #1, #2 e #3 para saber mais sobre a minha experiência nas três semanas. Se quiserem assistir o vídeo da minha TBR vocês ver ver que eu mudei bastante coisa a partir da terceira semana hehehe!

    Maratona Literária de Inverno 2015: Conclusão

    Semana #1

    O primeiro livro que eu li foi Correr ou Morrer e, pude confirmar o que várias pessoas me falaram, que foi uma escolha ótima para iniciar a maratona. A leitura é realmente rápida e instigante apesar de ser um livro grosso. Esse livro não tem altos e baixos. É tudo frenético e intenso o tempo todo!

    Maratona Literária de Inverno 2015: Conclusão

    Simultaneamente li O Oceano no Fim do Caminho e me apaixonei mais uma vez pelo Neil Gaiman. Ele me fascina e me deixa com medo ao mesmo tempo.

    Maratona Literária de Inverno 2015: Conclusão

    Semana #2

    Como eu nunca fico em clima natalino no Natal resolvi que a melhor época para ler esse livro seria no inverno. E funcionou viu! Entrei no clima gelado e deixei as histórias me levarem. São três contos super fofos que acabam se relacionando de algumas formas. Foi uma leitura leve e agradável!

    Maratona Literária de Inverno 2015: Conclusão

    Durante essa semana também li Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas? e amei o humor leve, rápido e suave da história. Espero ler mais desse autor!

    Maratona Literária de Inverno 2015: Conclusão

    Semana #3

    Cai um pouquinho de produção na terceira semana mas li esse livro que amei muito! Me tirou o fôlego e me prendeu por várias horas! Já postei resenha dele!

    Maratona Literária de Inverno 2015: Conclusão

    Semana #4

    Reli meu livro preferido do John Green. Ele virou meu livro preferido nessa releitura porque da primeira vez que li foi meio conturbado (maiores explicações no vídeo da terceira semana). O final desse livro é que arrancar o coração!

    Maratona Literária de Inverno 2015: Conclusão

    Li também Me, Earl and the Dying Girl que foi uma leitura divertida mas foi ok. A história não tem tanta profundidade e é mais despretensiosa do que as outras histórias que tratam do mesmo tema.

    Maratona Literária de Inverno 2015: Conclusão

    Conclusão

      Total de livros = 7
      Total de páginas = 2.044
      Total de gente legal, diversão e blogs que conheci = 8526288946523597… <3

    Amei participar, amei interagir com gente nova, conhecer blogs legais, compartilhar experiências e, acima de tudo, amei ver essa comunidade linda de amantes de livros se unir e se apoiar! Obrigada Victor!

    Que venha a próxima maratona!

    Maratona Literária de Inverno 2015: Conclusão

  • livros

    Resenha: Fragmentados

    Resenha: Fragmentados

    Livro: Fragmentados
    Autor: Neal Shusterman
    Editora: Novo Conceito
    Rating: [rating=5]
    Skoob
    Goodreads


    Sinopse
    Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria .

    Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.

    O vencedor do Boston Globe-Horn Book Award, Neal Shusterman, desafia as ideias dos leitores sobre a vida: não apenas sobre onde ela começa e termina, mas sobre o que realmente significa estar vivo.


    Capa & Diagramação

    A capa definitivamente não faz jus ao livro! Não gosto de nada da capa mas entendo que a Novo Conceito optou por manter a capa original. O trabalho gráfico no interior é bonito e simples.

    Resenha: Fragmentados

    Personagens, Enredo & Impressões gerais

    O que eu tenho a dizer é uau! Esse tal de Neal Shusterman me surpreendeu bonito! Acho que o fato de eu só ter ouvido falar bem à respeito desse livro mas nunca muito especificamente o que me ajudou a não criar tantas expectativas assim. Se ainda der tempo de você pegar qualquer livro na maratona essa é uma boa opção! A leitura é bem rápida e quando você percebe já leu bem mais do que esperava!

    Cada capítulo é alternado por personagens diferentes o que confere uma dinâmica muito positiva à história. Para mim, apesar de ótimas construções de personagens, enredo de tirar o fôlego, intrigas, reviravoltas e surpresas, o ponto alto do livro é o ritmo. É neste quesito que o autor arremata sua excelência equilibrando de forma perfeita cenas fortes, estratégias dos personagens, construção da trama e etc.

    Resenha: Fragmentados

    A escrita do Neal Shusterman é espetacular e conseguiu com que eu sentisse todas as sensações que ele (eu acredito), almejava provocar no leitor. Senti agonia, indignação, alívio, esperança e muita perturbação em algumas partes. Durante uma passagem do livro achei que eu fosse colocar tudo pra fora hehehe!

    “… se cada parte de você está viva, mas dentro de outra pessoa… você está vivo ou morto?”

    A construção dos personagens é tão boa que gostei até dos personagens maus hehehe! Neal utilizou um recurso muito útil em cativar os leitores que é aquele esquema de que nem todo mundo é sempre mau e, claro, nem todo mundo é sempre do bem. Isso acaba fazendo com que achemos os personagens mais reais já que nos identificamos mais com eles. Até porque, quando as ações destes são bem fundamentadas e a gente entende porque cada um agiu da maneira que agiu é impossível não ser cativado.

    Resenha: Fragmentados

    Nas distopias que eu já li o governo impõe regras à sociedade mas no caso de Fragmentados, a sociedade compactua com as decisões cruéis do governo.

    É fácil fazer uma analogia entre o enredo do livro e o comportamento da sociedade hoje. Talvez seja forçar muito a barra mas é impossível não pensar que a “Lei da Vida” surgiu de uma sociedade que vê tudo como descartável e que torna TUDO, inclusive a vida de um ser humano, comercializável. Dinheiro é o que move o mundo e, infelizmente, sabemos que às vezes o bom senso é totalmente ignorado quando se trata de tirar vantagens nesse quesito. Por mais absurdo que seja, eu consigo sim, enxergar uma crítica e uma analogia da sociedade atual.

    Adorei o trio principal (e antes que vocês perguntem já digo que não tem triângulo amoroso!) apesar de ter um pé atrás com o Lev. Vou ser super vaga nesse aspecto porque não dá para falar nada sem dar spoiler! Só te digo que o final é super corajoso e surpreendente!

    Resenha: Fragmentados

    Você vai gostar se: gosta de distopias, aventura e vários pontos de vista.
    Não leia se não gosta de: perseguições, reviravoltas e livros com pouco romance.
    Ideias centrais: “doação” de órgãos, fugitivos e distopia.

  • livros

    Resenha: Vango – Entre o Céu e a Terra

    Resenha: Vango: Entre o Céu e a Terra

    Livro: Vango: Entre o Céu e a Terra
    Autor: Timothée de Fombelle
    Editora: Melhoramentos
    Rating: [rating=4]
    Skoob
    Goodreads


    Sinopse
    Salvar a pele e, ao mesmo tempo, descobrir a própria identidade. Este é o grande desafio de Vango, o jovem herói do novo romance do escritor francês Timothée de Fombelle. Ao ler esse thriller histórico, ambientado no conturbado período entre as duas grandes guerras mundiais, somos impelidos a fugir com Vango pelos cinco continentes, num clima de absoluto perigo e suspense. Este rapaz órfão de 19 anos desconhece sua origem assim como desconhece a motivação do franco atirador que, além da polícia, está em seu encalço. Deparamo-nos com Vango na solenidade em que ele e outros seminaristas seriam ordenados padres na suntuosa catedral de Notre-Dame, em Paris.

    O assassinato do padre Jean, seu protetor, desencadeia a perseguição ao rapaz, que empreende uma fuga espetacular ao escalar nada menos do que os famosos vitrais da catedral. Essa cena é apenas um exemplo do clima de perseguição e aventura de que é feita toda a narrativa, quando acompanharemos nosso protagonista em situações e lugares improváveis – como um intruso escondido num caça da SS, galopando nas Terras Altas da Escócia, dependurado num vulcão italiano ou sobrevoando o Brasil e vários outros lugares num zepelim.


    Capa & Diagramação

    O formato do livro difere do formato tradicional porque além de ser mais alto é também mais largo. Ele é mais pesado do que parece. Eu diria que é um livro bem robusto hehehe! O trabalho gráfico é impecável com ilustração de capa linda, aberturas de capítulos super legais e, o melhor de tudo, todo impresso na cor vinho. Lindo de viver!

    Resenha: Vango: Entre o Céu e a Terra

    Personagens, Enredo & Impressões gerais

    Eu li Vango durante uma resseca literária (tinha acabado de ler Fangirl <3) e acredito que isso acabou prejudicando um pouco o ritmo da leitura. A história traz períodos mais intensos com muita aventura, mistérios e surpresas de tirar o fôlego. Mas também traz vários momentos mais lentos em que a história vai sendo apresentada já que o leitor "chega" no meio dos acontecimentos. Acho que um pouco da lentidão da história acontece pelo fato de que o autor constrói várias história paralelas e, de início, o leitor não consegue identificar a correlação entre elas. Resenha: Vango: Entre o Céu e a Terra

    A trama é tão vasta e tão bem entrelaçada que tinha horas que eu me perdia. Eu sempre sou mais lenta nessas histórias com muitos personagens pois tenho uma memória péssima! Mas mesmo assim, consegui entender tudo e quando algumas peças se encaixavam é que o valor desse livro se mostrava ainda mais. Eu sempre admiro os autores capazes de construir várias histórias, cenários e personagens que são, em algum momento, interligados.

    “Vango cresceu na encosta do vulcão extinto. Ali, encontrou tudo o que precisava. Ele cresceu com três babás: a liberdade, a solidão e Mademoiselle.”

    Ao decorrer da leitura nos deparamos com personagens que realmente existiram. Sempre que aparecia um personagem novo eu ficava me perguntando se era um personagem da história real ou criação integral do autor.

    Quando se trata dos personagens, nenhum me cativou tanto assim, mas a trama, a aventura, os cenários e os mistérios desse livro foram suficientes para me fazer chegar ao final querendo mais. Queria que tivesse um pouco mais de romance pois eu amo essas histórias em que o romance acontece mas não é o ponto principal do enredo. Quem sabe no segundo livro né?

    Um ponto positivo é que o mistério acerca da vida de Vango vai sendo revelado aos poucos e, mesmo sendo o primeiro livro de uma duologia, o autor não deixa o leitor sem respostas. Vango: Entre o Céu e a Terra apresenta algumas respostas mas deixa vários mistérios ainda ainda sem resolução. O suficiente para fazer a gente procurar o segundo livro!

    Resenha: Vango: Entre o Céu e a Terra

    Você vai gostar se: gosta de aventura, trama com muitos personagens e várias coisas acontecendo ao mesmo tempo.
    Não leia se não gosta de: viagens, mistério.
    Ideias centrais: mistério, viagens, perseguição.