web analytics
  • top 5

    TOP 5: Livros que mudaram minha vida

    Oi Romantics!

    Dei uma sumida porque peguei uns freelas no fim de semana (chaching!) mas agora vai voltar tudo ao normal.

    Nesse mês, o Rotaroots propôs aos blogueiros um meme sobre os 3 livros que mudaram a sua vida. Os livros que mudaram a minha vida não são clássicos da literatura e podem nem ter impactado tanto seus leitores. Mas eles se encaixaram em um momento da minha vida em que eu estava aberta as reflexões que as obras trouxeram e provavelmente eles me agregaram valores que eu carecia naquele momento, ainda que inconscientemente.

    TOP 5: Livros que mudaram minha vida

    1. Harry Potter e a Pedra Filosofal – J.K. Rowling
    Esse livro mudou minha vida pois foi o primeiro de uma série que incentivou meu interesse pela literatura, me divertiu por muitas e muitas horas, me trouxe amigos incríveis e me incutiu valores e ensinamentos para a vida toda.

    2. Convergente – Veronica Roth (comentário)
    O começo da série se mostrou como uma distopia tão divertida de ler quanto qualquer outra. Porém a medida que a série progrediu eu percebia na personagem da Tris valores, formas de pensar e atitudes que me faltavam. Ver/ler Tris defendendo seus ideais, se sacrificando em prol dos mais fracos, lutando pelo que acreditava, cometendo erros e tentando corrigi-los me inspira e me dá forças a fazer o mesmo.

    3. Sonhe Mais – Jai Pausch (resenha)
    Esse livro foi escrito pela viúva de Randy Pausch após dua morte. Randy era um cara muito bem sucedido que morreu de câncer e lutou contra a doença por vários anos. Sabendo que morreria logo Randy planejou tudo para que o impacto da sua morte fosse o menor possível para sua família.

    É um livro super triste mas que me ensinou a ser mais positiva, aproveitar mais os pequenos momentos e a lidar com a morte de maneira mais natural. Tudo isso requer uma luta diária e é por isso que tenho essa família como inspiração e de volta e meia gosto de assistir palestras e entrevistas de Randy no YouTube.

    4. Olhe Nos Meus Olhos – John Elder Robison
    Eu não sabia nem metade das coisas que esse livro me ensinou sobre Síndrome de Asperger, sobre autismo, sobre diferenças e sobre como nós não sabemos nada uns dos outros. O trunfo desse livro, para mim, é se colocar no lugar do outro e sobretudo dar chances para que as pessoas mostrem seu valor.

    5. Violetas na Janela – Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho
    Foi o primeiro livro espírita de muitos que acabei lendo mais tarde. Li uma cópia emprestada pela minha avó já que desde cedo ela percebia e alimentava meu amor pela literatura. É um ótimo livro para jovens que queiram aprender sobre a religião pois é bem suave e traz muitas informações interessantes para os iniciantes.

  • novidades

    Novidades: Fevereiro

    Agora sim as novidades voltaram ao ritmo normal (só que atrasadas hehehe!)!

    Compras, Trocas & Livros Emprestados

    Finalmente eu vou ler Quatro! Quem já tá com ingresso de Insurgente comprado levanta a mão!
    Novidades: Fevereiro 2015

    O que chegou de parceria

    E finalmente (outra vez!) vou ler Julia Quinn! Recebi Para Sir Phillip, Com Amor da Editora Arqueiro e comecei minha saga da autora no quinto livro. Já levei um bocado de spoiler dos livros anteriores mas não tem problema. Acho que isso não vai estragar a experiência de leitura porque o final todo mundo já sabe, né?
    Novidades: Fevereiro 2015

    Olha quanto lançamento delícia da Editora Novo Conceito! Mandaram um “aperitivo” de A Mais Pura Verdade que na é lançamento de março.
    Novidades: Fevereiro 2015

    Novidades: Fevereiro 2015

    Novidades: Fevereiro 2015

    Novidades: Fevereiro 2015

    Novidades: Fevereiro 2015

    Novidades: Fevereiro 2015

    Novidades: Fevereiro 2015

    Novidades: Fevereiro 2015

  • livros,  top 5

    TOP 5: Livros lidos em 2014

    Oi Romantics!

    Estes são os livros que mais gostei de ler em 2014. Deixo a lista como dicas de leituras futuras para vocês e também quero saber quais são os seus livros preferidos de 2014.

    TOP 5: Melhores livros de 2014

    1. Perdido em Marte – Andy Weir
    Ainda nem fiz resenha pois terminei de lê-lo esta semana. Foi o penúltimo livro do ano e uma das minhas leituras favoritas! Nunca tinha lido nada parecido e achei que não fosse gostar de ficção científica. A capa e a sinopse me conquistaram e de começar a leitura descobri que o livro está sendo transformado em um filme que será dirigido pelo Ridley Scott (what?!). Isso só pode dar muito certo!

    2. Pó de Lua – Clarice Freire
    Esse livro transborda fofura! É criativo, divertido e profundo. Antes de tê-lo eu tinha expectativas altíssimas mas ele acabou superando tudo!

    3. Convergente – Veronica Roth (Comentário)
    Convergente fechou de maneira épica uma série que eu gostei muito. Agora é só esperar pelos próximos filmes!

    4. Will & Will – John Green e David Levithan
    Will & Will é muito amor! Eu gosto dos livros do John porque ao mesmo tempo que me divertem, me levam a pensar sobre várias coisas. Esse não é exceção! Não vou reclamar se ele resolve se juntar com o David Levithan em mais ocasiões.

    5. Boneca de Ossos – Holly Black (Resenha)
    Autora linda que eu descobri esse ano! Nunca tinha lido nada que juntasse horror e fofura de um jeito tão harmônico. Até hoje não sei se tenho medo ou se quero cuidar da boneca hehehe!

    Quais são os melhores livros que vocês leram em 2014? Se fizerem um post como esse deixem o link nos comentários!

  • top 5

    TOP 5: A Culpa na Literatura

    A Leya Brasil propôs uma blogagem coletiva com o tema “A Culpa na Literatura”. Achei a ideia super divertida apesar de perceber que eu não li muitos livros em que a trama gira entorno da culpa. Então vai uma listinha, mega selecionada, das profundezas do meu baú literário caso você curta enredos culpados hehehe!

    TOP 5: A culpa na literatura

    1. Cartas de Amor aos Mortos – Ava Dellaira
    A dúvida e a culpa são dois sentimentos que permeiam a personagem principal e, foi por essa razão que eu acho que o livro tocou um público tão grande. Não posso falar mais para não deixar escapar nenhum spoiler!

    2. Retalhos – Craig Thompson (resenha)
    A culpa nesse livro está muito atrelada à sexualidade e à religião. Craig explicitou a culpa religiosa e a descoberta da sexualidade de um jeito delicado e único!. Indico muito!

    3. Reconstruindo Amelia – Kimberly McCreight (resenha)
    Em Reconstruindo Amelia o autor lida, junto da mãe da garota, com o mistério da morte da filha. Dá uma dor no coração toda vez que a mãe pensa no tempo em que se focou no trabalho e negligenciando seus momentos com a filha.

    4. Convergente – Veronica Roth
    A culpa tem um papel bem decisivo nessa trilogia mas eu não posso abrir meu bico se não sai spoiler. Quem já leu sabe!

    5. Quando eu era Joe – Karen David (resenha)
    Não é preciso realmente ser culpado para se sentir culpado né? No caso desse personagem ele se sente assim por tudo que ele fez sua família e amigos passarem mas o pobre menino não teve muito escolha na vida. Morro de dó!

    Curtiu a seleção de livros carregados desse sentimento tão ingrato que avassala nossos corações? Então prepare-se para o lançamento desse mês da Editora Leya!

    WillowSinopse
    Sete meses atrás, em uma noite chuvosa de março, os pais de Willow acabaram bebendo muito durante o jantar e pediram a ela que guiasse o carro até em casa. Por uma fatalidade, Willow perdeu o controle do veículo e seus pais morreram no acidente. Consumida pela culpa, Willow deixa para trás sua casa, amigos e escola e, enquanto tenta retomar a relação de afeto e companheirismo com o irmão mais velho, secretamente bloqueia a dor da perda cortando a si mesma. Mas quando Willow encontra Guy, um rapaz tão sensível e complexo quanto ela, mudanças intensas começam a acontecer, virando seu mundo de cabeça para baixo. Contado de modo cativante e doce, Willow é um romance inesquecível sobre a luta de uma jovem para lidar com a tragédia familiar e com o medo de se deixar viver uma linda história de amor e cumplicidade.

    O livro já está em pré-venda na Saraiva!

  • livros,  recomendo

    ÉPICO: A trilogia Divergente

    Epic: Divergente
    Às vezes eu leio livros e mais livros que me distraem, me divertem, mas são só histórias que passam. Quando leio as palavras finais dessas histórias e fecho o livro eles e se tornam um a mais na minha estante, um livro que vou recomendar ou não, que vou comentar em uma resenha ou não e etc.

    Mas algumas poucas vezes na minha vida li obras que afetassem o jeito com que eu enxergasse a vida, as pessoas a minha volta, suas personalidades, motivações e sobretudo minha personalidade e minhas motivações. Poucas obras conseguiram me atingir profundamente, bagunçar com as ideias que havia formado da vida e recolocaram tudo em mim de novo de forma diferente.

    Por isso, este post é uma homenagem e uma data que eu quero deixar marcada aqui no blog. Porque é isso que move o blog. Não as leituras descartáveis mas as poucas leituras que encontramos e que nos fazem diferentes de alguma maneira. É isso que move o meu amor pela literatura. É isso que eu procuro no meio dos numerosos livros que leio. Eu entendo que não acho isso muitos livros (e eu nem quero!). E entendo que cada pessoa é diferente encontra esse tipo de leitura épica em um livro diferente. Tudo depende das experiências pelas quais já passamos, como conectamos a nossa própria vida com a história e das coisas que valorizamos na vida.

    Epic: Divergente

    Hoje eu terminei de ler Allegiant (Convergente aqui no Brasil). O engraçado é que eu não dei nada por essa série. Geralmente eu leio os lançamentos antes de eles virarem assunto de todo mundo mas nessa série em particular li quando ela já estava quente no mundo letrário. Li o primeiro em agosto de 2013 e os outros dois em abril e maio. Eu tive um pouco de dificuldade com a escrita da Veronica no início. Não consegui imaginar os cenários e personagens como ela havia descrito no primeiro volume. Pouco antes de o filme ser lançado comecei Insurgent e levei uma porrada na cara com a qualidade da história, dos personagens e da escrita em geral. Entendi que quando li Divergent eu não tava in the mood para aquele tipo de livro. As distopias estavam no auge naquela época e eu achei que seria só mais do mesmo.

    Anyway, Allegiant foi muito mais do que eu imaginei. Foi mindblowing de todas as maneiras e eu senti que a Veronica conseguiu não se render às pressões do público e da mídia e escreveu exatamente o que ela queria. Sem pressão e sem medo. E eu amei isso! Talvez isso tenha acontecido porque ela escreveu tudo antes de a saga ter muito sucesso. Eu não sei mas a impressão que ficou é que ela é forte e durona assim como a imagem que passou nas entrevistas que tive a oportunidade de assistir.

    Epic: Divergente

    Não era a minha intenção escrever tanto! Só queria deixar marcado essa data e o que eu senti ao terminar essa saga aqui no blog e recomendar a vocês que gostam de ação, aventura, romance e sobretudo de livros que te fazem rever os conceitos e te mudam como pessoa, que leiam a trilogia e que tenham o coração aberto para essa história linda!

    “There are so many ways to be brave in this world. Sometimes bravery involves laying down your life for something bigger than yourself, or for someone else. Sometimes it involves giving up everything you have ever known, or everyone you have ever loved, for the sake of something greater. But sometimes it doesn’t.

    Sometimes it is nothing more than gritting your teeth through pain, and the work of every day, the slow walk toward a better life.

    That is the sort of bravery I must have now.”