web analytics
livros

Resenha: Sorte Grande

Livro: Sorte Grande
Autora: Jennifer E. Smith
Editora: Galera
Rating: [rating=3]
Adicione à sua estante: Skoob | Goodreads

+ Exemplar cedido pela editora para resenha


Sinopse

Desde que perdeu os pais, Alice não acredita na sorte. Mas ela acredita no amor. De seus tios, de seu primo Leo, de seu melhor amigo, Teddy. Quando precisa decidir o que dar a Teddy em seu aniversário de 18 anos, a ideia parece chegar naturalmente: um bilhete de loteria. Com todos os números importantes para ambos: número dos anos que estiveram juntos, datas importantes e endereços marcantes. Quando a combinação se prova vencedora e o menino ganha quase 150 milhões de dólares, os dois se envolvem em um redemoinho de loucuras juvenis, interesseiros e sonhos de infância realizados. Tudo estaria perfeito, não fosse um beijo trocado no auge das comemorações. Um beijo que mudaria tudo. Mas o dinheiro não pode comprar o amor. Mas será que pode dar uma ajudinha?


Capa & Diagramação

O livro tem um formato menor que o padrão e é super fácil segurá-lo fazendo com que a leitura seja confortável. De todas as capas de outros países que eu vi no Goodreads a brasileira é a mais bonita! Gosto dos trevos em aquarela e da mistura de cores. A diagramação interna é simples e proporciona uma leitura confortável.

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Eu li A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista (amo esse título!) há um tempão e apesar de lembrar super pouco do enredo, lembro que foi bem fofo e delicado. Movida pelo meu encantamento com seu primeiro livro e muitos elogios de todo mundo, adquiri The Geography of You and Me mas ainda não li.

Sorte Grande traz a história de Alice e Teddy com a mesma delicadeza e sutileza tão característicos da autora. Eu fico muito feliz de ver o sucesso de livros como esse, que contam uma história de amor sem apelação e ainda assim conquistam muitos leitores.

Não acredito que Sorte Grande se compare a primeira leitura que fiz da autora. A premissa é a mesma, contar uma história de amor adolescente de forma simples, delicada e apaixonante. Eu, porém, não consegui me sentir tão cativada pelos personagens e pelo enredo em geral a ponto de mergulhar por inteiro na história.

Várias características de Alice me incomodaram. Ela tem dificuldade de tomar decisões e exagera no drama com coisas simples. Teddy, o mocinho engraçado, charmoso e alto astral, não me inspirou confiança. Em vários momentos em pensei “o que essa menina viu nesse cara?”.

Os personagens que eu mais gostei foram os personagens secundários como Leo, o primo que é quase irmão da Alice, e a mãe de Teddy. Esses dois personagens trazem dramas paralelos que, para mim, tiveram mais relevância que o drama principal da história.

“Como você consegue ter tanta fé em alguém, especialmente alguém que decepciona tanto você quanto Teddy, quando tem tão pouca fé no mundo?”

Os temas centrais giram em torno do dinheiro, da amizade e do amadurecimento. Após ficar milionário, Teddy começa a gastar seu dinheiro como se não houvesse amanhã e Alice vê seu amigo deslumbrado se afastar. Alice pensa de uma maneira bem diferente e por isso não concorda com as escolhas de Teddy. Ao mesmo tempo, ela tem que aprender a lidar com o amor que sente por ele, com a perda de seus pais (que aconteceu na infância mas que ainda é uma dor latente em sua vida) e com a entrada na faculdade.

O livro é gostoso de ler. A sutileza e a delicadeza da Jennifer E. Smith não decepcionam. Mas não é o tipo de leitura que traz uma certa melancolia misturada ao romance e te leva a refletir como em A Probabilidade. Indico a leitura como um passatempo, principalmente para quem gosta de romances adolescentes desse tipo. Mas não espere nada que vá te surpreender.

Pontos positivos: romance delicado e leitura leve.
Pontos negativos: não é dos melhores livros da autora. Caso você queira ler alguma coisa dela comece por A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista.

Gosto de cartões postais, livros e tenho um amor infinito por animais. Pretendo conhecer toda a Europa em breve e, às vezes, gosto de me aventurar na cozinha.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *