Resenha: Mulher-Maravilha – Sementes da Guerra

Livro: Mulher-Maravilha – Sementes da Guerra
Autor: Leigh Bardugo
Editora: Sextante
Rating: [rating=4]
Adicione à sua estante: Skoob | Goodreads

+ Exemplar cedido pela editora para resenha


Sinopse

Antes de se tornar a Mulher-Maravilha, ela era apenas Diana.

Filha da deusa Hipólita, Diana deseja apenas se provar entre suas irmãs guerreiras. Mas quando a oportunidade finalmente chega, ela joga fora sua chance de glória ao quebrar uma lei das amazonas e salvar Alia Keralis, uma simples mortal.

No entanto, Alia está longe de ser uma garota comum. Ela é uma semente da guerra, descendente da infame Helena de Troia, destinada a trazer uma era de derramamento de sangue e miséria. Agora cabe a Diana salvar todos e dar seu primeiro passo como a maior heroína que o mundo já conheceu.


Capa & Diagramação

Gostei bastante da ilustração da capa! O estilo me agrada e achei interessante eles deixarem o rosto mais misterioso. Dessa maneira quem “se adaptou” com a Gal Gadot vai imaginar a personagem com a estética do filme e quem não curtiu muito vai imaginar do seu próprio jeito.

A diagramação interna é bem limpa e simples com alguns detalhes na abertura de capa capítulo.

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Eu me joguei nessa leitura sem saber muito sobre a Mulher Maravilha. Meus conhecimentos se resumem ao filme que saiu esse ano e só! Nem a sinopse do livro eu li! Eu gostei do filme mas só quando fiquei sabendo que a autora do livro era a Leigh Bardugo é que tive realmente vontade de lê-lo.

O filme serve como um gatilho ótimo para a mente do leitor em termos visuais já que toda a estética de alguns personagens, de Temiscira e da Diana em ação é muito bem representado nas telas. Partindo disso, a Leigh Bardugo pôde inserir ação bem no início da história. Temos apenas uma introdução aos dramas e conflitos pessoais de Diana antes de tudo começar.

O livro tem uma vantagem no que tange a proximidade e intimidade do leitor com o personagem principal. Saber os conflitos internos, as inseguranças e os pensamentos de Diana ajudaram muito com que eu tivesse mais empatia com a personagem. No meu caso, esse sentimento foi muito potencializado no livro. Não que tal proximidade não seja possível de ser atingida nos filmes mas acredito que na literatura acontece de forma mais natural e aprofundada.

De início eu tive a impressão de que estava lendo mais do mesmo porém as diferentes direções que o enredo foi tomando e o desenvolvimento de personagens que nem aparecem no livro me deixaram bem ocupada! Lembrando que o enredo do livro não é o mesmo do filme, ok? Por essa mesma razão indico esse livro para todo mundo que curte a personagem, o enredo do filme e todo o universo criado em torno destes.

“É claro que homens creem que o poder de uma mulher jaz na delicadeza de suas feições, na perfeição de suas formas. Entretanto, você sabe mais, Filha da Terra.”

A história é permeada de momentos girlpower mas sem parecerem forçados. Tudo acontece de maneira natural assim como no filme. Uma personagem feminina e forte dessas é girlpower só de respirar, né? Assim como na obra cinematográfica, também amei os momentos em que Diana se depara com a vida fora de Temiscira e como ela tem que se adaptar a isso. Os conflitos culturais acabam gerando altas situações engraçadinhas e inusitadas.

É o meu segundo livro da Leigh Bardugo e estou ansiosa para ler mais coisas escritas por ela. Amei o Sombra e Ossos e desde então tenho ouvido maravilhas sobre a autora (fora que ela é uma fofa!). Quanto a escrita desse eu não achei de tão alta qualidade quanto Sombra e Ossos mas talvez seja porque o universo da trilogia Grisha me encanta mais.

Leitura muito recomendada para os entusiastas do filme e aos fãs antigos. Quem curte a personagem e esse universo vai ter algumas horas de diversão com Sementes da Guerra!

Pontos positivos: ótimo para quem gosta da temática, tanto os fãs antigos quanto para os entusiastas to filme gostarão dessa leitura.
Pontos negativos: pode soar como mais do mesmo caso você não seja tão aficionado

By Evelyn

Viciada em farinha láctea, cartões postais, livros e tenho um amor infinito por animais. Pretendo conhecer toda a Europa em breve e, às vezes, gosto de me aventurar na cozinha.

2 comments

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *