web analytics
livros

Resenha: A Casa das Sete Mulheres

Livro: A Casa das Sete Mulheres
Autor: Leticia Wierchowski
Editora: Bertrand Brasil
Rating: [rating=5]

Adicione à sua estante: Skoob | Goodreads

+ Exemplar cedido pela editora para resenha


Sinopse

Durante a Revolução Farroupilha (1835-1845) — uma luta dos latifundiários rio-grandenses contra o Império brasileiro —, o líder do movimento, general Bento Gonçalves da Silva, isolou as mulheres de sua família em uma estância afastada das áreas em conflito, com o propósito de protegê-las. A guerra que se esperava curta começou a se prolongar. E a vida daquelas sete mulheres confinadas na solidão do pampa começou a se transformar. O que não está nos livros de história sobre a mais longa guerra civil do continente está neste livro de Leticia Wierzchowski, um exercício totalizador sobre a violência da guerra e sua influência maléfica sobre o destino de homens e de mulheres.


Capa & Diagramação

O romance foi publicado originalmente em 2002 pela Editora Record e agora relançado pela Bertrand Brasil nessa capa apaixonante que utiliza a ilustração de Chico Baldini. O projeto gráfico inteiro é de cair o queixo! O livro tem quase quinhentas páginas e a diagramação é limpa e elegante.

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Esqueça (quase) tudo que você lembra sobre a adaptação de A Casa das Sete Mulheres. Sem querer cair no clichê de “o livro é melhor” mas já caindo, tenha em mente que as duas obras são bem diferentes. Na verdade eu lembro que quando a série foi ao ar, fazendo muito sucesso, eu não tinha idade suficiente para assistir e/ou não era o público alvo da produção.

Quando já estava para lá da metade da leitura do livro tive a impressão de que a obra televisa foi muito mais apelativa que o livro. Achei que o livro seria muito mais pesado do que realmente estava sendo. Por isso, resolvi assistir ao primeiro episódio da série e constatei que, de fato, a série torna alguns aspectos do livro bem mais apelativos. Eu entendo que as duas mídias são diferentes e isso acontece com a maioria das adaptações mas como eu sempre prefiro a versão menos apelativa, mais uma vez caio no clichê de preferir o livro a adaptação televisiva.

O maior trunfo da série televisiva é o elenco feminino escalado. A minha personagem favorita no livro é a Caetana, esposa de Bento Gonçalves, pois as descrições dela no livro transpiram força feminina. A personagem esposa de Bento Gonçalves, mâe de oito e por muitas vezes é um dos alicerces da casa.

A autora da obra, Letícia Wierzchowski, leva o leitor a sentir toda a angústia da espera dessas mulheres enquanto a guerra acontece, a alegria quando algum parente retorna para casa, o luto quando perdem alguém. Tudo isso regido pelas maravilhas dos pampas, das estações bem marcadas, do verão abafado ou do minuano no alto inverno.

“Fui talhada para ser de um único homem, e serei dele eternamente. Mesmo que nunca nos casemos, mesmo que a guerra ou o destino o leve para longe de mim, permanecerei esperando-o até quando for necessário, até a eternidade.”

Além de toda a incerteza da guerra, as mulheres têm que lidar com suas próprias angustias, cuidando umas das outras, da estância, dos filhos e sobrinhos. O drama de casa personagem e a maneira como cada um lida com a mesma situação cria dá muita realidade à obra.

O ponto principal do enredo, que eu achei que fosse me cativar mais, que é o romance entre Manuela e Giuseppe Garibaldi, tomou um segundo plano na história para mim. Só de pensar que essa personagem viveu uma vida inteira frustrada dá um aperto no coração!

A escrita da Leticia é um pérola! Que delícia, que ritmo, que fluência! O livro foi ótimo para aprender um pouco de história e além dos fatos históricos em si, o vocabulário e a maneira de os personagens falarem transporta o leitor diretamente para o momento histórico e para o local. Aprendi várias palavras novas e costumes gaúchos.

“Como um muro, é assim que uma mulher do pampa espera pelo seu homem. Que nenhuma tempestade a derrube, que nenhum vento a vergue, o seu homem haverá de necessitar de uma sombra quando voltar.”

Caso você não tenha gostado da adaptação televisiva não tenha medo de mergulhar nessa leitura pois ambas são bem diferentes. Caso você tenha gosta da adaptação pode se jogar no livro pois penso que este é uma versão melhorada da versão para a TV. Além disso, a Bertrand Brasil relançou o romance nessa capa apaixonante que eu não consigo parar de olhar! Esse livro corre um risco enorme de entrar para os TOP 5 favoritos do ano. Vamos ver o que acontece até o dia 31 de dezembro!

Pontos positivos: enredo rico, personagens fortes, a escrita é deliciosa e dá para aprender um pouco de história.
Pontos negativos: pode ser cansativo para quem não tem paciência para livros longos. Mesmo assim, te aconselho a dar uma chance.

Gosto de cartões postais, livros e tenho um amor infinito por animais. Pretendo conhecer toda a Europa em breve e, às vezes, gosto de me aventurar na cozinha.

5 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *