web analytics
livros

Resenha: Um Tom Mais Escuro de Magia

Livro: Um Tom Mais Escuro de Magia
Autora: V.E. Schwab
Editora: Record
Rating: [rating=5]

Adicione à sua estante: Skoob | Goodreads

+ Exemplar cedido pela editora para resenha


Sinopse

Kell é um dos últimos Viajantes — magos com uma habilidade rara e cobiçada de viajar entre universos paralelos conectados por uma cidade mágica. Existe a Londres Cinza, suja e enfadonha, sem magia alguma e com um rei louco — George III. A Londres Vermelha, onde vida e magia são reverenciadas, e onde Kell foi criado ao lado de Rhy Maresh, o boêmio herdeiro de um império próspero. A Londres Branca: um lugar onde se luta para controlar a magia, e onde a magia reage, drenando a cidade até os ossos. E era uma vez… a Londres Negra. Mas ninguém mais fala sobre ela. Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. É um hobby desafiador com consequências perigosas que Kell agora conhecerá de perto. Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Primeiro ela o assalta, depois o salva de um inimigo mortal e finalmente obriga Kell a levá-la para outro mundo a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina. Para salvar todos os mundos, Kell e Lila primeiro precisam permanecer vivos.


Capa & Diagramação

Eu quis ler o livro pela fama da autora e por se tratar do meu gênero literário favorito porque essa capa não me atrai em nada. Não gosto e acho que não reflete o valor do conteúdo. Lembrando que a Editora Record optou por manter as capas da publicação original.

A diagramação interna é comum na fonte Palatino e papel amarelado. As divisões de sessões e de capítulos são simples e elegantes.

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Olha essa leitora finalmente lendo V.E. Shwab! Gente agora eu entendo porque os booktubers gringos piravam nessa mulher e depois os brasileiros falavam muito dela também! Eu ouvi falar dela muito mais pelos booktubers de fora do Brasil mas acho que foi apenas por questão de timing mesmo. Eu tenho umas fases de assistir muito mais os canais de fora de vez em quando.

Um Tom Mais Escuro de Magia carrega alguns fatores que me fizeram amar o livro e um defeito que me frustrou.

Fator amor nº1: A trama se passa em Londres, ou melhor, em várias Londres. Eu já amo uma e a V.E. Shwab multiplicou esse amor hehehe! Na verdade a Londres como a gente mais próxima da cidade da “vida real” é a Londres Cinza do livro. No universo criado pela autora temos também a Londres Vermelha, onde a vida e magia são reverenciadas, a Londres Branca onde se luta para controlar a magia e ela reage drenando a cidade até os ossos e a Londres Negra que foi palco de acontecimentos bizarros e está isolada.

Kell, o personagem principal mora na Londres Vermelha que é a Londres mais legal mesmo :P Deu vontade de morar lá.

Fator amor nº2: Falando em Kell, eu adorei o fato de ele ser um dos últimos a ter a habilidade de viajar entre as cidades. Além de toda a construção de universo, as habilidades de cada um e os artefatos criam uma atmosfera deliciosa para o leitor se deixar levar.

Fator amor nº3: A terceira qualidade tem nome próprio e se chama Delilah Bard. Que heroína badass, intrigante e divertida. A leitura já estava correndo rapidamente e quando ela entra na história ficou ainda mais rápida! Adorei essa personagem e ela promete muito nos próximos volumes da trilogia.

Pequena frustração: Não acho que isso tenha prejudicado tanto o livro mas seria a ereja do bolo caso a V.E. Shwab tivesse se aprofundado um pouco mais nos personagens. A personagem de maior profundidade é Delilah e senti muita falta de a autora explorar mais isso em Kell. Esse fator acabou prejudicando bastante a minha relação com o personagem principal pois achei difícil criar laços com ele. Ela já fez isso bem melhor com a Lila e a minha esperança é que a autora compense isso no próximo livro.

“Batalhas podem ser ganhas de fora para dentro, mas guerras são vencidas de dentro para fora.”

Estou certa de que esse livro estará no TOP 5 de melhores leituras de 2017! A Editora Record está lançando o segundo livro da trilogia agora e o terceiro já foi lançado lá fora. A V.E. Schwab (adoro esse nome!) está fazendo sucesso com a Guardiã de Histórias e o queridinho de todo mundo, recém-lançado, A Melodia Feroz.

Eu não estarei (de corpo presente) na Bienal do Livro mas eu peço que, você, leitor que estará lá no segundo final de semana, no dia 10 de setembro, dê muito amor para essa autora que nos presenteia com muitas horas de leitura e divertimento. Dêem muito amor para ela por favor! E depois me contem como foi :D

Pontos positivos: aventura, magia, figurinos maravilhosos e muita Londres!
Pontos negativos: falta de profundidade de alguns personagens. Mas nada que atrapalhe a leitura.

Gosto de cartões postais, livros e tenho um amor infinito por animais. Pretendo conhecer toda a Europa em breve e, às vezes, gosto de me aventurar na cozinha.

8 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *