web analytics
livros

Resenha: Golem e o Gênio

Resenha: Golem e o Gênio

Livro: Golem e o Gênio
Autora: Helene Wecker
Editora: Darkside Books
Rating: [rating=5]
Adicione à sua estante: Skoob | Goodreads

+ Exemplar cedido pela editora para resenha


Sinopse

Os confrontos e as barreiras vividas por duas culturas tão próximas, ainda que aparentemente opostas. Em Golem e o Gênio, premiado romance fantástico que a DarkSide® Books traz ao Brasil em 2015, o leitor se transporta à Nova York da virada do século XX, em uma viagem fascinante através das culturas árabe e judaica. Seus guias serão poderosos seres mitológicos.

Chava é uma golem, criatura feita de barro, trazida à vida por um estranho rabino envolvido com os estudos alquímicos da Cabala. Ahmad é um gênio, ser feito de fogo, nascido no deserto sírio, preso em uma antiga garrafa de cobre por um beduíno, séculos atrás. Atraídos pelo destino à parte mais pobre de uma Manhattan construída por imigrantes, Ahmad e Chava se tornam improváveis amigos e companheiros de alma, desafiando suas naturezas opostas. Até a noite em que um terrível incidente os separa. Mas uma poderosa ameaça vai reuni-los novamente, colocando em risco suas existências e obrigando-os a fazer uma escolha definitiva.


Capa & Diagramação

Os livros da Darkside são objetos de desejo para a muitos amantes da leitura. E não é só porque eles são de capa dura não! A qualidade acompanha toda a peça gráfica. A diagramação é flawless gente! As aberturas de capítulo, os espaçamentos, a fonte utilizada, a qualidade da folha de guarda. O livro transparece a qualidade de quem é apaixonado pelo que faz!

Resenha: Golem e o Gênio

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Digamos que Golem e o Gênio seja uma leitura essencial para os amantes de fantasia. Eu já muitos livros dessa categoria mas pouquíssimas vezes vi um ambiente real mesclar-se com o mundo fantástico de forma tão natural. Isso acontece quando Hele Wecker envolve seres fantásticos que vivem nos desertos sírios, chamados Djims (cuja sonoridade do nome se assemelha a genie, uma lenda que já é de conhecimento de todos), Golens (seres de barro e de natureza violenta) e uma Nova Iorque de imigrantes do século XIX.

Eu não tenho conhecimentos específicos sobre a imigração aos EUA nessa época mas só imagino o nível de pesquisa envolvido na escrita do livro. Os detalhes ricos e específicos e o agradecimento as pessoas que a ajudaram na pesquisa no final do livro evidenciam minha suspeita anterior.

Resenha: Golem e o Gênio

Esse não é o tipo de livro fantástico que te arrebata logo de cara. Mesmo se iniciando com mais de cem páginas de apresentação dos personagens e seus históricos e também do contexto histórico-social de onde o enredo se desenvolveria, Helene tem muita habilidade para manter o leitor interessado. Eu não me lembro de já ter lido um livro com uma introdução tão longo que não tenha me cansado e me entendiado. Porém, nesse caso, essa introdução só me fez ter vontade de ler mais e mais rápido para chegar nos momentos em que a história começava a se “desembolar” mais. Me encontrei em situações difíceis várias vezes porque durante as duas semanas em que eu demorei para ler o livro tive pouquíssimo tempo para ler. Trabalhei nos finais de semana e e me envolvi em atividades complementares depois do serviço e me peguei, durante todo esse tempo, com muito desejo de ler o livro!

Resenha: Golem e o Gênio

Já contei em outras resenhas que eu gosto de descrições bem detalhadas sobre os personagens porque quando as descrições contêm “buracos” minha imaginação me prega peças hehehe! Nesse caso, os personagens e o universo em geral foram tão bem escritos que parecia que eu tinha visto um filme com todos eles. Eles estão muito claros na minha cabeça. Dos mais misteriosos, velhos, corcundas, cegos, carecas, até as mocinhas mias elegantes e bonitas, das vielas pobres cheias de cortiços até as áreas de mansão e um Central Park antigo com ovelhas a pastar. Tudo é muito claro na minha cabeça!

Resenha: Golem e o Gênio

Os personagens são outro ponto alto da história. A naturalidade e a realidade com que os personagens fantasiosos se encaixam no mundo real foi feita com maestria. Eles te cativam aos poucos com suas personalidades não tão virtuosas mas com ações muito condizentes com seus históricos e suas interações. Me encantei pela Golem desde muito cedo e depois me apaixonei pelo Djim, o rabi Meyer, a dona do bar amiga de todo mundo e outros tantos personagens secundários.

“Você não está considerando a solidão. Todos nós nos sentimos solitários de vez em quando, não importa quantas pessoas tenhamos a nossa volta.”

Eu realmente não consigo apontar um defeito ou algo que não tenha me agradado nesse livro. O leitor é sugado para um mundo que mistura de forma perfeita o real e o fantasioso sem cair em nenhum clichê. Wecker não caminha com a história por caminhos comuns desde o início até sua conclusão. Falando nisso, o final é muito digno e, por isso, aconselho essa leitura para todo mundo que goste de uma boa fantasia.

Resenha: Golem e o Gênio

Você vai gostar se: fantasia, história, Nova Iorque.
Não leia se não gosta de: livros longos.
Ideias centrais: lendas, imigração, deserto.

Gosto de cartões postais, livros e tenho um amor infinito por animais. Pretendo conhecer toda a Europa em breve e, às vezes, gosto de me aventurar na cozinha.

5 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *