web analytics
livros

Resenha: Amaldiçoado

Resenha: Amaldiçoado

Livro: Amaldiçoado (publicado originalmente como O Pacto)
Autor: Joe Hill
Editora: Arqueiro
Rating: [rating=4]
Skoob
Goodreads


Sinopse
Ignatius Perrish sempre foi um homem bom. Tinha uma família unida e privilegiada, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida. Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade: Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Embora não haja evidências que o incriminem, também não há nada que prove sua inocência. Todos na cidade acreditam que ele é um monstro. Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas. Além disso, descobre algo assustador: ao vê-lo, as pessoas não reagem com espanto e horror, como seria de esperar. Em vez disso, entram numa espécie de transe e revelam seus pecados mais inconfessáveis. Um médico, o padre, seus pais e até sua querida avó, ninguém está imune a Ig. E todos estão contra ele. Porém, a mais dolorosa das confissões é a de seu irmão, que sempre soube quem era o assassino de Merrin, mas não podia contar a verdade. Até agora.

Sozinho, sem ter aonde ir ou a quem recorrer, Ig vai descobrir que, quando as pessoas que você ama lhe viram as costas e sua vida se torna um inferno, ser o diabo não é tão mau assim. Joe Hill, autor de A estrada da noite e Nosferatu, já foi aclamado como um dos principais novos nomes da ficção fantástica. Em Amaldiçoado, o sobrenatural é pano de fundo para uma história de amor e tragédia, de traição e vingança. Um livro envolvente, emocionante e cheio de suspense que nos leva a refletir: em matéria de maldade, quem é pior, o homem ou o diabo?


Capa & Diagramação

Gostei bastante da capa mas preferi a capa original com o tridente e com aspecto de arranhada por ele. De alguma forma acho o tridente mais emblemático na história que os chifres. Mas entendo que a capa nova tem a ver com o filme que vai sair em breve. Não tem problema porque a carinha do Daniel Radcliffe é linda com chifre ou sem chifre hehehe!

Senti falta de algum aviso sobre a faixa etária recomendada ou o um alerta sobre conteúdo adulto. Fiquem avisadas mamães de plantão! Não é porque tem o “Harry Potter” na capa que seu filho pode ler hein! Na minha opinião esse livro é para maiores de 16 anos!

A diagramação do miolo é limpa mas achei espremida demais. Nada que me incomodasse tanto mas preferia que fosse mais espaçada.

Resenha: Amaldiçoado

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Devo dizer que eu gostei bastante do livro porém com ressalvas.

Primeiro, um ponto positivo (porque eu sempre falo das coisas boas primeiro!), foi que ele não é tão assustador quanto eu achei que seria. Eu sou super medrosa e tomando como base The Woman in Black que foi um outro filme que o Radcliffe escolhei para protagonizar achei que eu iria ficar mortinha de medo nesse! O livro se vende como uma obra super demoníaca mas me parece que o autor utilizou recursos cômicos para aliviar as partes mais tensas. Nessas partes, ao invés de me sentir apavorada eu tinha era vergonha alheia de algumas situações.

Ainda bem que só descobri depois de terminar a leitura que esse tal de Joe Hill é filho do Stephen King. Nunca li nada dele mas sua fama de obras aterrorizantes não vem do nada, né?

O ponto chave do livro foi o desenrolar da história que foi revelando aos poucos o que porque e como Merrin foi assassinada. Nos fez enxergar as motivações e a personalidade de cada personagem com a ajuda de flashbacks muito bem colocados.

Resenha: Amaldiçoado

É com a ajuda dos flashbacks também que temos a chance de saber mais sobre Merrin já que o livro se inicia cerca de um ano depois da morte dela.

O mais interessante é que mesmo Ig carregando esse mistério e se tornando cada vez mais um ser demoníaco, é impossível pensar nele como um vilão ou uma pessoa que queira fazer mal de alguma maneira. Ele tem um ataques de raiva mas em 95% do livro só quer saber o que aconteceu, quem a matou e se vingar dessa pessoa.

“Agora que havia se acostumado, preferia ser um demônio. A cruz era um símbolo da mais típica condição humana: o sofrimento. E Ig estava cansado de sofrer.”

A parte do mistério da morte dela foi toda muito bem explorada mas o que me incomodou um pouco foi o mistério dos chifres e das transformações pelas quais ele passou. Além de ter o chifres crescendo ele provocava confissões super íntimas dos desejos mais cabulosos das pessoas com as quais interagia. E conseguia, também, persuadir as pessoas a fazer alguma coisa que elas já demonstravam alguma vontade. Esse último aspecto poderia ter rendido muitos momentos engraçados e interessantes mas em todas as vezes eu só fiquei com vergonha alheia hehehe!

No final, achei que a questão das transformações de Ig foi deixada em segundo plano e ficaram mal explicadas. Isso me incomodou pois me senti meio no vácuo.

Resenha: Amaldiçoado

Você vai gostar se: mistério, assassinato.
Não leia se não gosta de: da ideia de demônio, satanás, conflitos internos sobre religião, palavrões.
Ideias centrais: demônio, assassinato.

Gosto de cartões postais, livros e tenho um amor infinito por animais. Pretendo conhecer toda a Europa em breve e, às vezes, gosto de me aventurar na cozinha.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *