web analytics
livros

Resenha: Starters

Resenha: Starters

Livro: Starters
Autora: Lissa Price
Editora: Novo Conceito
Rating: [rating=4]
Skoob
Goodreads


Sinopse
Seu mundo mudou para sempre. Callie perdeu os pais quando as guerras de Esporos varreu todas as pessoas entre 20 e 60 anos. Ela e seu irmão mais novo, Tyler, estão se virando, vivendo como desabrigados com seu amigo Michael e lutando contra rebeldes que os matariam por uma bolacha. A única esperança de Callie é Prime Destinations, um lugar perturbador em Berverly Hills que abriga uma misteriosa figura conhecida como o Old Man. Ele aluga adolescentes para alugar seus corpos aos Terminais — idosos que desejam ser jovens novamente. Callie, desesperada pelo dinheiro que os ajudará a sobreviver concorda em ser uma doadora. Mas o neurochip que colocam em Callie está com defeito e ela acorda na vida de sua locadora, morando em uma mansão, dirigindo seus carros e saindo com o neto de um senador. Parece quase um conto de fadas, até Callie descobrir que sua locatária pretende fazer mais do que se divertir — e que os planos de Prime Destinations são tão diabólicos que Callie nunca podia ter imaginado…


Capa & Diagramação

Não dá nem para comentar de tão linda que é a capa. Eu conseguiria ficar olhando pra ela por horas e horas se eu pudesse. A cor, o desenho do rosto e os relevos nas estruturas do background chamam muito a atenção onde quer que o livro esteja. A diagramação é super limpa e bem feita.

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Acho que a esse ponto, tendo lido várias distopias, eu posso garantir que o gênero é um dos meus preferidos. Digo isso porque eles nunca falham em me entreter. Posso não considerar algumas distopias fabulosas mas elas sempre prendem minha atenção e trazem elementos que, para mim, são muito sedutores.

É curioso o fato de eu ter gostado muito de algumas distopias que não agradaram muita gente como Delírio e não ter gostado tanto assim de uma distopia que é muito querida como Estilhaça-me. Às vezes, me bate uma vontade danada de reler Delírio para ver se depois de ler tantos comentários negativos eu mudaria minha opinião.

Depois de pensar um pouquinho à respeito, eu percebi que as distopias que eu mais gostei foram aquelas que apresentavam um romance bem escrito, bem estruturado e que fizeram com que eu me envolvesse mais com a história. Porque violência, guerra e opressão são cenários comuns em vários dramas mas são perfeitos para adicionar romance e fazer a gente sofrer horrores gerando uma distopia nível Jogos Vorazes.

Resenha: Starters

No caso de Starters eu vou logo revelando que apesar de ter gostado muito não foi uma distopia muito marcante para mim justamente pelo fato de não ter um romance que me cativasse tanto. Amei o livro e vou continuar seguindo a série mas em comparação com as outras distopias ela não se destacou muito (ainda pois o próximo livro promete!).

Tirando isso os personagens são muito bem construídos e o fluxo de leitura é do tipo que você lê capítulos e capítulos sem nem perceber. A Lissa Price arrasa na construção, sequência e ritmo dos fatos. Em algumas horas o clima dá uma acalmada e quase chega a ficar chato mas entendo que é uma estratégia para dar mais impacto à ação quando esta começa.

Quanto ao vilão eu ainda não sei muito o que pensar (e quem já leu suspeita o motivo). Achei que ele foi muito bem construído mas pouco desenvolvido. Até onde a autora se arriscou deu para ver que ele tem muito potencial que, eu imagino, será mais trabalhado nas sequências (tomara!).

“- Estamos com saudades, Tyler. Amamos você, Callie. Cuide bem de seu irmão.
No primeiro mês, eu chorava sempre que ouvia essas vozes. Em seguida, parei. Elas pareciam vazias agora, como se viessem de atores sem nome.
Tyler nunca chorava. Ele continuava a absorver aquelas palavras, incansavelmente.”

O enredo é incrível e é o que mais me chama atenção na obra! Eu sou muito crítica com os enredos de distopias pois eles têm que convencer o leitor de que aquela situação absurda é “possível”, têm que ter uma certa complexidade para impor obstáculos na saga e espaço suficiente para permitir as reviravoltas (que me fizeram até perder o fôlego). Eu imagino que os enredos distópicos devem ser os mais difíceis de se criar e mantê-los articulados e possíveis ao decorrer da série. Por isso, eu fico super fã de quem consegue fazer isso de forma tão bem feita como a Lissa Price.

Eu estou louca para saber o que acontece depois de uma mega reviravolta que acontece no final desse livro e espero, do fundo do meu coração, que o romance em Enders seja mais presente e intenso.

Resenha: Starters

Você vai gostar se: gosta de distopias.
Não leia se não gosta de: distopias, temas tecnológicos e futurísticos.
Ideias centrais: controle do governo, população oprimida, guerra.

Gosto de cartões postais, livros e tenho um amor infinito por animais. Pretendo conhecer toda a Europa em breve e, às vezes, gosto de me aventurar na cozinha.

6 Comments

  • MaríliaNo Gravatar

    Oi Evelyn,

    Acabei de adicionar mais uma distopia para a minha lista. Gostei muito de sua resenha acredito que distopias conseguem nos cativar mais a partir do momento em que os mundos e situações ali descritos são verossímeis para nós. Estou lendo a trilogia Divergente no momento. Você já leu?! Se não, corra! É ótima e alguns começam a colocá-la somente um pouco atrás de Jogos Vorazes.

    Beijinhos,

    Marília
    http://paginaseletras.com.br/

    • EvelynNo Gravatar

      É verdade! Eles sempre fazem um paralelo cm a nossa realidade.
      Eu li o primeiro livro da trilogia Divergente e comprei os outros dois. Chegaram ontem! Quero muito lê-los logo!

    • EvelynNo Gravatar

      Eu acho que os pontos negativos só aparecem depois que você compara a história com outras distopias. Acho que estamos ficando muito exigentes com esse tanto de autores explorando o gênero hehehe! Só posso dizer que vale muito a pena!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *