web analytics
livros

Resenha: Pequena Abelha

Livro: Pequena Abelha
Autor: Chris Cleave
Editora: Intrínseca
Rating: [rating=3]
Skoob
Goodreads

Sinopse
Não queremos lhe contar o que acontece nesse livro.
É realmente uma história especial, e não queremos estragá-la.
Ainda assim, você precisa saber algo para se interessar, por isso vamos dizer apenas o seguinte:
Essa é a história de duas mulheres cujas vidas se chocam num dia fatídico. Então, uma delas precisa fazer uma escolha que envolve vida ou morte. Dois anos mais tarde, elas se reencontram. E tudo começa… Depois de ler esse livro, você vai querer comentá-lo com seus amigos. Quando o fizer, por favor, não lhes diga o que acontece. O encanto está sobretudo na maneira como a narrativa se desenrola.
Pequena Abelha é o segundo livro de Chris Cleave. Finalista do Prêmio Costa de 2008 como Melhor Obra de Ficção, foi indicado ao Prêmio Commonwealth Writers’ como Melhor Livro de 2009.

O livro é muito bem escrito com o enredo bem entrelaçado e bastante simples. A história é realmente tocante e nos faz refletir sobre problemas sociais gerados pela globalização e extração de petróleo em países pobres como a Nigéria que é muito rica em petróleo e sofreu intensa destruição de suas aldeias para que possibilitar a extração dessa matéria. A Nigéria é o país de origem de Pequena Abelha que foge para a Inglaterra depois de presenciar muita violência e morte em sua terra natal.

A inocência pela qual Pequena Abelha descreve como é a vida em seu país de origem e compara constantemente com a vida dos ingleses (que na verdade se refere a todos nós que vivemos em “países desenvolvidos” ) e como coisas que são tão comuns para a gente podem ser tão curiosas e principalmente causar tantos males nos países pobres, é o ponto mais tocante do livro. Não pensamos muitas vezes de onde vem a matéria prima dos produtos que consumimos (não por falta de cuidado e interesse mas por pura falta de informação) e como isso pode afetar negativamente muitas pessoas, aldeias, fauna, flora, vidas.

Apesar de não ser o tipo de livro que eu amo, fico feliz por ter a oportunidade de ler esse livro e ficar mais alerta para os problemas de imigração ilegal, efeitos da extração de petróleo nos países mais probres e verdadeiros valores da vida. Esse livro é acima de tudo uma grande lição de vida, pois em cada um de seus detalhes, personagens e situações podemos encontrar algo mensagens inspiradoras de vida. Até o meninino Charlie que vive escondido numa fantasia de Batman traz lições importantes debaixo de seu disfarce.

Dei três estrelas não porque o livro é ruim mas porque é o tipo de leitura que não me diverte. Sofrimento e violência são coisas que  eu procuro não ter em meus momentos de lazer porque já estamos tão cercados disso no dia a dia. Não nego o sofrimento, os problemas sociais e etc mas o excesso desse tipo de informação pode não ser saudável para pessoas mais sensíveis. Não é minha ideia de diversão. Mas isso é outra discussão.

Vou transcrever uma pequena parte do livro que me marcou muito e acho descreve o objetivo do livro muito bem:

O futuro é outra coisa que eu teria que explicar às moças da minha terra. O futuro é o maior produto de exportação de meu país. Sai tão depressa pelos nosso portos marítimos que a maioria do nosso povo nunca o viu nem sabe como é. No meu país, o futuro exite em pepitas de ouro escondidas na rocha ou é colhido em reservas escuras no fundo da terra… Dessa forma, de fração em fração, nosso futuro se torna o seu futuro… A fração mais pesada, a sabedoria de nossos avós, foi usado para asfaltar as estradas de vocês. As frações medianas, as economias cuidadosas de nossas mães, as moedinhas que elas guardavam depis da época da colheita, essas foram usadas para abastecer seus carros.  E a fração mais leve de todas – os nosso sonhos fantásticos de criança nas horas mais sossegadas das noites de lua cheia -, bem, esse saíram em forma de gás, que vocês engarrafaram e estocaram para o inverno. Dessa maneira, nossos sonhos vão manter vocês aquecidos. Agora que são parte do seu futuro, não acuso vocês de usá-los. Vocês provavelmente não fazem a menos ideia de onde vieram.” – (pág. 187)

Para quem gosta de livros como ‘O Caçador de Pipas’ e ‘A Menina que Roubava Livros’ vai gostar desse!


Book: Little Bee or The Other Hand (in UK, Ireland and Australia)
Author: Chris Cleave
Publisher: Simon & Schuster
Rating: [rating=3]
Official site
Skoob
Goodreads

Synopsis
We don’t want to tell you what happens in this book.
It is a truly special story and we don’t want to spoil it.
nevertheless, you need to know enough to buy it, so we will just say this:

This is the story of two women. Their lives collide one fateful day, and one of them has to make a terrible choice, the kind of choice we hope you never have to face. Two years later, they meet again – the story starts there …
Once you have read it, you’ll want to tell your friends about it. When you do, please don’t tell them what happens. The magic is in how the story unfolds.

Little Bee is extremely well written and has a very simple yet well tangled plot. The story is touching and makes us think about social problems generated by oil extraction in poor countries like Nigeria that suffered massive destruction of people and nature due to this. Nigeria is where Little Bee came from before running away to England.

The innocence in which Little Bee describes her life e constantly compares is English people lives (where she actually refers to everyone that doesn’t live in poor countries) and how things that are so simple to us can cause such damage to them is the most touching point of the book. We usually don’t think about where raw material of most things come, not because we don’t care but because we simply don’t know. And we surely don’t think how it can affect negatively so many people and nature.

Although it isn’t the kind of book I enjoy reading I’m happy I had the opportunity to read it to be more aware of problems like illegal immigration, effects of oil extraction in poor countries and the really values of life.
This book is above all a great life lesson cause in every detail of the story is possible to find something to be inspired of. Even the little boy, Charlie, that lives hidden in his Batman costume carries good life lessons.

I gave three stars not because the book is bad but because it isn’t the kind of story that entertains me. Suffering and violence are not things I look for in my free time because we’re already surrounded by it everyday. I don’t deny suffering, social problems and etc but I do think the excess of that kind of information can be very unhealthy to some people. It’s not my idea of fun but that’s another discussion.

For those of enjoyed “Kite Runner” and “The Book Thief” will certainly like “Little Bee”!

Gosto de cartões postais, livros e tenho um amor infinito por animais. Pretendo conhecer toda a Europa em breve e, às vezes, gosto de me aventurar na cozinha.

2 Comments

  • Sarah LeeNo Gravatar

    Ainda bem q livro não sai de moda, pq não consegui ler Pequena Abelha e SIM EU AMO HOSTORIAS ASSIM, pois 2 livros favoritos são ‘O Caçador de Pipas’ e ‘A Menina que Roubava Livros’.

    Alem de ser um livro lindo!

    Beijos!

  • HoneyNo Gravatar

    Nossa, como eu fiquei com vontade de ler, eu já tinha visto e folheado ele algumas vezes na livraria daqui, e logo que li o trecho do livro e suas palavras dizendo que serve para quem gosta de O caçador de pipas e A menina que roubava livros, fiquei com mais vontade de ler ainda.
    A menina que roubava livros é um dos meus prediletos e, adoro a maneira como a “morte” narra a história.
    Pois bem, vou dar um jeito de ler esse livro o mais breve possível. Obrigada pela dica!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *