web analytics

Resenha: Pipocando

By December 3, 2016 livros

Resenha: Pipocando

Livro: Pipocando: Os Bastidores do Maior Canal de Cinema da América Latina
Autores: Rolandinho e Bruno Bock
Editora: Novo Conceito
Rating:
Adicione à sua estante: Skoob | Goodreads

+ Exemplar cedido pela editora para resenha


Sinopse

Rolandinho e Bruno Bock compartilham, por meio do relato de suas histórias, os tropeços e acertos que levaram o Pipocando a alcançar marcas incríveis – 140 milhões de visualizações e mais de 1,7 milhão de inscritos, transformando-o no maior canal de cinema da América Latina – desde a criação dos primeiros projetos fracassados até o desafio de gerenciar e motivar uma equipe competente.

Recheado de segredos, experiências e histórias hilárias, este livro pretende mostrar que o sucesso vem, na maioria das vezes, para quem tem coragem e disposição de sobra – claro, se você tiver café, também ajuda.


Capa & Diagramação

Amei muito todo o projeto gráfico do livro! A capa é de encher os olhos e o interior do livro é cheio de ilustrações engraçadinhas e detalhes fofos! E olha quem escreveu o prefácio <3 Resenha: Pipocando

Resenha: Pipocando

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Eu já tinha assistido alguns vídeos desses meninos mas não me lembrava direito. Entre os caras no YouTube porque qualquer ser humano que fale português e gosta de cinema mais cedo ou mais tarde vai topar com algum vídeo deles.
No início do leitura eu achei que não fosse conseguir chegar até o final. O Rolandinho e o Bruno Bock contam, separadamente, suas histórias de vida e a trajetória de cada um até chegar na ideia do Pipocando. Só que essa parte é muito detalhada e eles passaram por muitas coisas até chegar na ideia do canal como ele é hoje.

Resenha: Pipocando

Depois da parte o livro é só alegria. É interessante observar como o trabalho deles difere do trabalho da maioria dos youtubers que eu acompanho e da maioria dos youtubers que fazem sucesso. Desde sempre eles tinham uma pegada mais profissional.

Adorei saber sobre as dúvidas, os perrengues, as incertezas, os sacrifícios e como um apoiou o outro na luta para oferecer conteúdo fazer o que ama. Passei a enxergar o trabalho deles com outros olhos! Várias passagens mataram minha curiosidade sobre esse mundo da produção de vídeos com um caráter mais profissional. A equipe é tão estruturada, os roteiros tão bem escritos e cuidados que os caras funcionam como uma emissora de TV independente. Tudo isso com o benefício da liberdade de falar sobre o que eles quiserem com a linguagem deles. Inclusive podem postar uns vídeos de zoeira (assiste esse!).

Resenha: Pipocando

Resenha: Pipocando

Os interessados em seguir carreira no youtube (ou só quem faz vídeos por hobby mesmo) podem encontrar várias dicas interessantes durante a leitura. Dica de quem já tentou, errou e quebrou a cara várias vezes. Dica de quem já acertou e viu que não é tão simples assim manter a qualidade e a frequência dos vídeos. Dicas preciosas!

“Apesar desse modo mais alternativo de enxergar a vida, o sucesso da empresa não garantiu minha felicidade plena, mas posso afirmar que todo o esforço é válido quando se percebe que é o roteirista da própria vida. Que, mesmo que tivesse todo o dinheiro do mundo, escolheria estar nesse filme, aqui e agora.”

Quando peguei para ler o livro não lembrava muito dos vídeos deles e consegui me segurar e não assistir nenhum vídeo do Pipocando enquanto não terminasse a leitura. Eu sempre me seguro para não assistir séries e filmes dos livros durante a leitura para não afetar a experiência literária.

Quando terminei de ler tirei o atraso e fui pescando vários vídeos com temas que eu achava interessante. Acabei assistindo muuuuitos vídeos naquele dia!

Resenha: Pipocando

Pontos positivos: leitura rápida, livro cheio de dicas para quem é do ramo.
Pontos negativos: se você não gosta dos caras e não gosta de livro de youtubers vai achar a leitura chata.

You Might Also Like

Book Haul: Outubro

By November 26, 2016 livros, novidades

Acho que eu acabei de bater o recorde de atraso na postagem do book haul desse mês! É que as leituras estão tão boas que eu estou usando todo o meu tempo livre para ler. Mas quero mostrar para vocês o que entrou na minha estante mês passado para não acumular com as novidades de novembro.

Compras, Trocas & Livros Emprestados

Duas trocas lindas feitas pelo Skoob. Crenshaw estava na minha lista de desejados porque adoro literatura juvenil e porque já li O Grande Ivan dessa mesma autora e adorei.
Book Haul: Outubro

Mês passado eu consegui Cinder e agora Scarlet. Já estou muito pronta para iniciar essa série.
Book Haul: Outubro

O que chegou de parceria

Recebi esses dois da Editora Arqueiro. Li Muito Amor Por Favor e amei. Dez Formas de Fazer Um Coração se Derreter é um romance de época bem delícia de ler.
Book Haul: Outubro

Book Haul: Outubro

A Novo Conceito me enviou Três Vezes Nós que tem essa capa lindíssima!
Book Haul: Outubro

Eu também já li Os Pássaros que a Darkside me enviou e você pode ler o que eu achei aqui ;)
Book Haul: Outubro

You Might Also Like

Resenha: Os Pássaros

By November 16, 2016 livros

Resenha: Os Pássaros

Livro: Os Pássaros
Autor: Frank Baker
Editora: Darkside Books
Rating:
Adicione à sua estante: Skoob | Goodreads

+ Exemplar cedido pela editora para resenha


Sinopse

Você conhece o filme. É um dos maiores clássicos de Alfred Hitchcock, de 1963. Nos créditos, consta que a história é baseada no conto “Os Pássaros”, de Daphne du Marier, escritora que o mestre do suspense já havia adaptado antes. Quase trinta anos após seu lançamento, o romance de Frank Baker ganharia repercussão quando o autor ameaçou processar Hitchcock e Daphne Du Maurier. Para deixar essa estranha coincidência com ares de plano macabro: Daphne era prima do antigo editor de Frank Baker, o inglês Peter Davies, e chegou a trabalhar com o parente.

Pássaros. Milhares, talvez milhões, sobrevoam Londres, de forma aparentemente inexplicável e sem sentido, onde parecem observar os habitantes da capital, que os consideram divertidos, se tanto um pouco estranhos. Enquanto as pessoas ainda tentavam entender o que faziam ali, eles começam a atacar, ferindo e até mesmo matando com tremenda brutalidade e violência. Seriam eles uma força da natureza ou uma manifestação sobrenatural? Ninguém sabe. A única certeza é que o objetivo dos pássaros é a destruição da humanidade e ninguém tem ideia de como impedi-los…

No ano em que se celebra os 80 anos da primeira edição, a DarkSide® Books orgulhosamente apresenta o livro Os Pássaros para todos os leitores e cinéfilos brasileiros apaixonados por um bom susto, um retrato sombrio e acurado de uma Londres pré-Guerra, como se Baker conseguisse vislumbrar o futuro próximo de terror e feitos inomináveis apresentado pela Segunda Guerra Mundial.


Capa & Diagramação

Mais uma vez a Darkside entrega um livro com visual impecável. As cores trabalhadas no livro são branco, preto e cobre o que resultou num visual super elegante. Eu acho os corvos muito lindos e, apesar de os pássaros do livro serem de vários tipos a galera optou por dar destaque para os corvos porque eles são mais fotogênicos hehehe!

Resenha: Os Pássaros

Resenha: Os Pássaros

Resenha: Os Pássaros

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Eu tenho lembranças beeeem vagas do filme Pássaros porque, além de ter assistido a algumas cenas sangrentas da obra de Hitchcock quando criança, também lembro da minha mãe contando que assistiu o filme quando era jovem. Minha mãe nem gosta de filmes de terror e lembro de ficar impressionada que ela tenha assistido a esse. Então deve ser realmente bom, né?

Com o passar dos anos me vi cada vez mais interessada nas obras do cara e até estive com ele lá em Londres hahaha!

A vontade ficou rondando assim como a vontade de ler/assistir a vááááários clássicos. Saiu filme dele, livro do filme, saiu Psicose pela Darkside mas a oportunidade só veio mesmo quando no início de outubro a editora me ofereceu Os Pássaros.

Comecei a leitura de forma crua já que não sabia quem era o autor e como a história acabou indo parar no cinema. O livro já começa com uma introdução escrita por Ken Moog contextualizando o leitor quanto a alguns detalhes da obra, detalhes que ligam a vida pessoal do autor à obra. Ken revela, inclusive, que a relação do autor e do cineasta não foi das melhores já que Hitchcock não pagou nem reconheceu o uso do livro na adaptação cinematográfica. Ele alegou que comprou os direitos de outra pessoa. Vai saber né! O cara era polêmico mesmo!

Resenha: Os Pássaros

Depois do prefácio, que inclusive reli após o término do livro, se iniciou a narrativa com uma escrita muito fluida, deliciosa de ler! Eu sei que esse aspecto é muito pessoal mas, para mim, o estilo de escrita que Baker usou tornou a leitura imensamente prazerosa. É difícil encontrar um livro que “corra macio” assim!

O protagonista relata para sua filha Anna como era sua vida antes de os pássaros chegarem e como Londres foi lentamente se transformando após a chegada deles. No início, os pássaros sobrevoavam a cidade e se agrupavam em praças e monumentos. Os grupos de pássaros eram muito grandes e nuvens escuras se formavam no céu com a sua movimentação. Ninguém sabia ao certo porque eles estavam lá e porque tinham o comportamento de ficarem observando as pessoas. Ao tentarem aproximação, os pássaros não agiam de maneira usual. Todos achavam que eram uma estranha transformação climática que havia mudado o comportamento das aves. Até coisas mais bizarras começarem a acontecer.

Resenha: Os Pássaros

Resenha: Os Pássaros

A ambientação do enredo é, obviamente, um ponto forte para mim já que eu sou apaixonada por Londres. Além disso, ele falava os nomes dos lugares e os nomes das ruas e como eu já tenho uma imagem mental dos locais foi tudo bem interessante para mim. Sem contar que bateu uma saudade daquelas! O personagem principal (que não tem seu nome revelado) passa por inúmeros lugares que eu amava enquanto pude estar lá. Inclusive o ápice da história acontece num dos lugares que eu mais amava!

“Ouvi gritos e uma involuntária e rápida agitação. Não eram nuvens que pairavam sobre as ruas e obscureciam o sol. Era um grande bando de pequenos pássaros de plumagem brilhante que gorjeavam.”

Se a sua intenção é ler um livro de terror eu não acho que essa seja a sua melhor escolha. Apesar de conter cenas sangrentas elas não são frequentes nem intensas. A obra é, claramente muito mais focado na crítica aos costumes humanos e na sociedade pré-Segunda Guerra Mundial (não se tem confirmação da época narrada). A obra se volta muito mais para críticas e divagações do autor a respeito da realidade humana do que para cenas sangrentas.

Resenha: Os Pássaros

O ponto alto da leitura para mim, é exatamente na metade do livro, onde as divagações mais íntimas do personagem principal florescem. Perguntas acerca da sua existência, da sua função no mundo, da existência da arte, do contato do homem com a natureza, do que realmente importa na vida. A maneira com a qual Baker expõe essas interrogações e tudo que levou o personagem a chegar até elas é tocante. Tais cenas se passam na em meio a natureza abundante do País de Gales onde o personagem passa uns dias de férias.

E foi justamente esse clima bem Into The Wild que me pegou! Vocês sabem que eu não sou muito de terror, né? Até leio algumas coisa de vez em quando mas não é meu gênero preferido. Eu acredito que isso possa derrubar um pouco as avaliações e resenhas do livro já que todo mundo acha que é terror e na verdade nem é. Se eu posso te dar um conselho é: esqueça o filme na hora da leitura pois os dois tem enfoques muito diferentes.

Resenha: Os Pássaros

Resenha: Os Pássaros

Pontos positivos: pode te surpreender e com certeza vai te fazer refletir sobre alguns comportamentos da humanidade.
Pontos negativos: não é de terror (o que não é um ponto negativo para mim mas pode ser para quem já conhece o filme).

You Might Also Like

Resenha: Labirinto

By November 2, 2016 livros

Resenha: Labirinto

Livro: Labirinto
Autor: A.C.H. Smith
Editora: Darkside Books
Rating:
Adicione à sua estante: Skoob | Goodreads

+ Exemplar cedido pela editora para resenha


Sinopse

Trinta anos sem perder a magia. Tudo começou em um pequeno “labirinto” real na cabeça de James Maury, mais conhecido pelo nome de Jim Henson. O cartunista, músico, roteirista, designer e diretor sabia acessar como ninguém o coração das pessoas e o seu maior dom foi dar vida a seres inanimados. A nova geração pode não lembrar do seu nome, mas com certeza tem seus personagens gravados na memória: Os Muppets, Vila Sésamo, Muppets Babies e até a inesquecível Família Dinossauro. Além deste, Henson também criou fábulas como “Labirinto”, em parceria com George Lucas, filme que encantou toda uma geração quando foi lançado, há 30 anos, com David Bowie como Jareth, o Rei dos Duendes, e também responsável pela trilha sonora, e uma jovem Jennifer Connelly no papel de Sarah, a protagonista que deseja que os duendes levem Toby, seu meio irmão e – para seu espanto – é atendida. Arrependida, ela é desafiada pelo Rei dos Duendes a atravessar o sombrio Labirinto, repleto de perigos e seres mágicos.

A novelização de Labirinto finalmente é publicada em português, em uma edição à altura do mestre. Escrita por A.C.H. Smith em parceria com Henson, a edição apresenta pela primeira vez as ilustrações dos duendes feitas por Brian Froud, que trabalhou no filme, além de trechos inéditos e nunca vistos com 50 páginas do seu diário, detalhando a concepção inicial de suas ideias para Labirinto, comemorando os 30 anos do filme em grande estilo.


Capa & Diagramação

Sem comentários para a beleza e qualidade dessa edição. Fiz várias fotos para vocês terem uma noção. A capa é tão bem feita que eu tinha certeza que era de tecido até poder tocar nela e ver que a textura era impressa. Tem hot stamp dourado e verniz localizado. É coisa linda de se ver (e ter :D).

Resenha: Labirinto

Resenha: Labirinto

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Ler Labirinto foi como ler a Sessão da Tarde. Nada que eu já havia lido antes me deu essa sensação tão forte. O enrendo junta toda aquela jornada da heroína que precisa de completar uma missão que parece impossível e que a vida de alguém depende disso.

Resenha: Labirinto

Resenha: Labirinto

No caminho ela faz muitos amigos e colhe vários aprendizados. Daí o enredo se encaminha para o ápice e depois tudo se resolve. Nada disso foi spoiler mesmo para quem não tiver assistido ao filme. A estrutura da estória é aquele clichezão mesmo de filme de aventura da Sessão da Tarde. Porém, a maneira como é executado e as pequenas pérolas da história você só capta lendo. É o tipo de experiência que eu acho que só a leitura proporciona, sabe?

Eu não assisti ao filme ainda e me segurei para não ver muitas imagens dele ao longo da minha leitura. Queria que a minha mente criasse, do jeitinho dela, a imagem de todo mundo na minha cabeça. Isso só foi possível para os personagens secundários pois os dois personagens principais eu já havia visto num marcador que a editora me enviou.

Resenha: Labirinto

Resenha: Labirinto

Resenha: Labirinto

Falando nisso, fiquei até meio boba de ver como a Jennifer Connelly era quando jovem. Que beleza! Gosto muito do trabalho dela dos últimos tempos (principalmente Noé <3) mas nunca tinha assistido nada dela tão jovem. Quanto ao Bowie, eu espero que vocês não me condenem, mas nunca fui muito fã. Eu reconheço e respeito a relevância dele no cenário musical e social já que ele protagonizou a revolução que foi o estilo andrógino e deixava o limiar entre o feminino e o masculino bem tênue. Adoro isso e respeito muito! Mas a música e o estilo dele não me cativaram. Acho que por essas e outras que nunca tinha assistido a esse filme tão conhecido por tanta gente. Pode ser também por ele ter sido lançado um ano antes de eu nascer (1986). Tenho certeza que deve ter passado várias vezes na TV quando eu ainda era muito jovem. Eu achei a Sarah (a mocinha) e o Jareth (o Rei dos Duendes) bem sem sal mas amei os bichinhos que permeiam toda a estória. Eles são atrapalhados, engraçados, às vezes maldosos, mas sempre acabam por nos ensinar alguma coisa. Tem um em especial, que eu não vou falar mais sobre ele caso você ainda não tenha lido, que é muito cativante e me ensinou as lições mais legais do livro: não julgar os outros pelas aparências e estar com seus amigos nos bons e nos maus momentos. Resenha: Labirinto

Resenha: Labirinto

Resenha: Labirinto

Resenha: Labirinto

O livro é bem curtinho e tem muuuuuitas páginas mostrando rascunhos do Jim Henson (criador) e Brian Froud (ilustrador) para o filme. Esse Jim Henson, para quem não sabe, é o criador de Muppets, Vila Sésamo e Família Dinossauro. E o filme, para quem não sabe (hehehe!), foi dirigido pelo George Lucas que dispensa apresentações (eu espero!).

A Darkside fez o design do livro inspirado num livro que a Sarah lê no filme (amo esses detalhes!) e incluiu essa coletânea de desenhos e rascunhos de ideias para levar a estórias às telonas. Isso deixou o livro com aquele ar de item de colecionador cult hahaha! Já que eles estavam focados na nostalgia cult mandaram também um joguinho das antigas com o tema do livro. Amei!

labirinto-gif-2-new-romantic

labirinto-gif-1-new-romantic

Pontos positivos: é uma aventura leve, rápida e gostosa de ler.
Pontos negativos: não é um livro carregado de ensinamentos. É mais uma leitura para quem é fã do David Bowie, do filme ou gosta desse estilo meio Goonies.

You Might Also Like

Manual literário para quem tem medo de escuro + Sorteio Darkside

By October 22, 2016 livros

Eu sou bem pouco fraquinha para livros e filmes de terror. Odeio levar sustos, levo as criaturas muito a sério e os monstros/situações ficam na minha cabeça por muito tempo depois de ter os lido/assistido. Porém, eu sei que algumas obras são tão fantásticas que valem a pena passar o aperto. É por isso que eu bolei um manual com algumas táticas para quem quer se arriscar como eu hehehe! Fiz um manual literário mas que acaba servindo para filmes também.

Te confesso que na maioria das vezes eu super me preparei e a leitura nem foi tão assustadora assim. Stephen King! Aí vou eu!

halloween-2

Aproveite a claridade

Essa é a regra número um e a que mais funciona para mim. Como eu geralmente leio vários livros simultaneamente eu deixo esses mais pesados para quando o dia está claro e os mais leves para a escuridão. Aproveita que no horário de verão a gente tem mais uma hora de claridade!

Intercale a leitura

Como eu contei na dica anterior eu leio vários livros ao mesmo tempo. É uma ótima tática trocar para uma leitura mais leve naquele momento que você nem sente mais seus músculos de tanto medo. Intercale com romances bem açucarados ou chick-lits para melhor efeito.

Leia em lugares públicos

Eu me sinto levemente mais protegida da minha própria imaginação quando estou lendo em lugares públicos. Além de eu imaginar ser difícil uma criatura maligna aparecer no meio da multidão, quando eu acho que a situação está apertando na leitura eu olho um pouco o que está a minha volta. As situações muito cotidianas e conhecidas me trazem mais para a realidade. Ler no ônibus é ótimo!

halloween-1

Peça ajuda aos amigos

Peça para alguém que já leu o livro classificar o nível de terror de 1 a 10. Assim você já vai preparado.
Eu já pedi várias vezes para pessoas que eu sabia que havia lido tal livro qual o nível de terror. Para não haver mal entendidos, afinal o nível de tolerância de cada um varia bastante, eu dou exemplos. Numa escala de zero a dez, zero sendo Os Outros e dez sendo O Exorcista, qual é o grau de terror desses livro/filme?

Pratique exercícios físicos regularmente

Porque se tudo der errado e a criatura se materializar bem na sua frente eu acho que a coisa mais prudente a se fazer é correr!


Sorteio

A DarkSide vai sortear em parceria com o blog o livro Os Pássaros, lançamento desse mês. Eu estou lendo ele nesse momento e quero muito alguém pra comentar essa leitura que eu tô amando!

manual-para-quem-tem-medo-de-escuro-new-romantic-darkside

a Rafflecopter giveaway

Regras:
– Sempre que surgir a opção “Visitar página” não esqueça que é OBRIGATÓRIO curtir. Só dar uma olhada não vale!
– O não preenchimento correto do formulário acarretará em desclassificação do ganhador.
– O sorteio é válido apenas para quem tem endereço de entrega no Brasil.
– O resultado sairá neste mesmo post e nas redes sociais do blog após o término do sorteio.
– O ganhador deverá entrar em contato com o blog em, no máximo, 3 dias.

You Might Also Like

Resenha: Muito Amor Por Favor

By October 21, 2016 livros

Resenha: Muito Amor Por Favor

Livro: Muito Amor Por Favor
Autores: Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha
Editora: Sextante
Rating:
Adicione à sua estante: Skoob | Goodreads

+ Exemplar cedido pela editora para resenha


Sinopse

Este livro reúne textos que mostram o amor do ponto de vista de quatro jovens que escrevem sobre relacionamentos legítimos e atuais, que souberam se reinventar. Sem medo de expressar seus sentimentos, deixam para trás estereótipos já obsoletos – como o controlador machista ou o piegas choroso – e falam sobre viver a dois e sobre a natureza das relações em todos os seus aspectos. Assim, cada autor reflete sobre o amor representado por um elemento: Arthur Aguiar escreve que “O amor é água”, dizendo que ele é fluido, mas por vezes gelado; ora tempestade, ora profundo. Fred Elboni explica que “O amor é ar”, mostrando a leveza de se amar sem sofrer, da brisa que envolve os apaixonados, mas que por vezes torna-se furacão. Ique Carvalho se debruça sobre quando “O amor é fogo”, que arde, aquece a alma, mas que também pode incendiar até doer. E Matheus Rocha conta que “O amor é terra”, estável, tranquilo, mas que não escapa dos terremotos da vida, que tiram tudo do lugar para que a rotina não o extermine. Um livro apaixonante, para quem ama e para quem quer amar um dia… e sempre.


Capa & Diagramação

O projeto gráfico desse livro está puro amor! É tudo num tom de vinho com muitas flores e adornos fofos. As representações dos elementos também ficaram bem legais pois fogem do óbvio.

Resenha: Muito Amor Por Favor

Resenha: Muito Amor Por Favor

Personagens, Enredo & Impressões gerais

O livro é escrito por quatro autores diferentes e cada um representa um elemento: o Ique Carvalho escreve O Amor é Fogo, O Matheus Rocha escreve O Amor é Terra, o Arthur Aguiar escreve O Amor é Água e o Frederico Elboni escreve O Amor é Ar.

Os quatro escrevem crônicas sobre a vida, seus relacionamentos e sobre o amor de forma geral, sempre relacionando, ainda que sutilmente, o amor ao elemento da vez. o estilo de cada um é totalmente diferente um do outro. Eu fiquei feliz que eles não tentaram nivelar o estilo de escrita. As nuances e as características de cada um escrever ficaram bem nítidas e as mudanças entre os autores trouxeram um dinâmica gostosa para a leitura.

Resenha: Muito Amor Por Favor

Resenha: Muito Amor Por Favor

Os autores que eu mais gostei foram o Ique Carvalho e o Frederico Elboni. O Ique escreve em forma de poema e amei o ritmo que isso deu a leitura. Por isso acabei lendo a primeira parte do livro em um piscar de olhos. O ritmo é gosto e você passa as páginas sem ver.

Resenha: Muito Amor Por Favor

Mas agora PARA TUDO porque você tem que saber quem que é esse tal de Frederico Elboni. Se você não estiver a fim de ler esse livro todo tem que ler pelo menos a parte dele. É a parte final do livro e tem só 50 páginas. Eu tive que me controlar para não acabar com meu estoque de post-its nessas últimas páginas. Eu marquei MUITA coisa! Gostei de praticamente tudo que ele escreveu. Me identifiquei muito pois ele colocou em palavras muitas coisas que eu venho sentindo e que me definem como pessoa. Ri e me emocionei nessas últimas páginas. Acho que até conversei com o autor durante a leitura! Já estou correndo atrás dos outros livros dele. Ele já publicou três livros: ‘Um sorriso ou dois’, ‘Meu universo particular’ e ‘Só a gente sabe o que sente’.

“Gosto daquele tipo de relação em que um conhece o outro. Prefiro pessoas de verdade. Que cometem erros, fazem bobagens e seguem adiante. Se você quer se expressar, então use o olhar. Porque as palavras não podem dizer o que o amor pode fazer.”

O livro valeu muito a pena por causa desses dois caras! Os capítulos escritos pelo Arthur Aguiar e Matheus Rocha foram legais porém não me prenderam muito. Eram estórias bem comunzinhas de amor, sem muita novidade. Eu, pelo menos, não me identifiquei mas pode ser diferente com você. Assim como eu quase virei melhor amiga do Frederico de tanto que me identifiquei com ele e você pode achar a parte dele bem blah hehehe!

Só posso te dizer que esse livro me encantou e me surpreendeu! Mexeu comigo, me fez torcer, rir, chorar e ver que o amor dá certo algumas vezes, errado em outras e que provavelmente a culpa nem é sua. É assim para todo mundo. É um pouco de sorte misturada com destino, com tolerância, vontade de fazer dar certo e muita dedicação.

Resenha: Muito Amor Por Favor

Pontos positivos: é rápido, leve, dinâmico e muito delícia de ler.
Pontos negativos: pode ser um pouco repetitivo já que a maioria das crônicas fala de amor. Meu conselho é não ler tudo de uma vez e/ou intercalar com outras leituras.

You Might Also Like