web analytics

Resenha: Todos Os Nossos Ontens

By January 25, 2016 livros

Resenha: Todos Os Nossos Ontens

Livro: Todos Os Nossos Ontens
Autora: Cristin Terrill
Editora: Novo Conceito
Rating:
Skoob
Goodreads


Sinopse
O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo?
Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse?
Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem?
Em um futuro não tão distante, a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo. O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo…


Capa & Diagramação

Não gosto muito dessa capa mas também não desgosto, sabe? Ela não me chama a atenção mas não é feia. Não é muito significativa mas sai do comum. A diagramação interna é limpa e bonita!

Resenha: Todos Os Nossos Ontens

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Eu me divirto tanto com distopias! Essa está longe de ser a melhor distopia que li mas me entreteve durante várias horas! Da metade para o final eu li tão intensamente, sem fazer intervalos, que fiquei até com dor de cabeça hehehe! Eu queria saber o que acontece.

Apenas duas coisinhas me incomodaram no livro. A primeira é que tem uma revelação que, caso a autora optasse por não revelar tão cedo teria feito a leitura beeem mais interessante. E, a segunda coisa, é que o livro é muito intenso o tempo inteiro. Senti falta de uma pausa pra gente poder respirar. Mas aposto que para várias pessoas isso é uma baita qualidade :) Acho que eu senti isso porque livros/filmes que tratam de viagens no tempo me deixam muito agoniada!

Resenha: Todos Os Nossos Ontens

Os traços de cada personagem são bem definidos e as personalidades tão diferentes trazem um ótimo equilíbrio à história. Um dos personagens já me ganhou desde o início pois todos os diálogos em que ele está envolvido são rápidos e inteligentes, mesmo nas cenas carregadas de drama. Os outros dois personagens principais apresentam uma evolução significativa e totalmente verossímil.

“Não posso me deixar esquecer isso, nem por um instante, porque relembrar dói demais.”

Apesar de o enredo ser fictício, os personagens e suas ações são reais e possíveis. Eu fiquei com raivinha da Em várias vezes por decisões burras mas entendo que há uma diferença entre aquilo que a gente gostaria de fazer e aquilo que a gente realmente faria se estivesse em tal situação. De resto, os personagens são imaturos na medida certa, indecisos e inseguros na medida certa e corajosos, também, na medida certa.

Eu AMEI o que a autora fez com o final pois é imprevisível e cru! Deixou meu coração em pedacinhos!

Eu considero Todos Os Nossos Ontens uma ótima distopia para entretenimento, que vai te garantir várias e várias horas de leitura intensa (e tensa!). Se joga porque vale a pena!

Resenha: Todos Os Nossos Ontens

Você vai gostar se: intensidade, ficção científica, distopia.
Não leia se não gosta de: viagens no tempo, leituras de entretenimento.
Ideias centrais: viagem no tempo, amizade, amor, passado, presente.

You Might Also Like

TOP 5: Livros mais lindos da minha estante

By January 16, 2016 livros, top 5
TOP 5: Livros mais lindos da minha estante

Nesse vídeo mostro os livros mais lindos da minha estante. Não são necessariamente meus livros favoritos mas sim os que têm a estética mais trabalhada, aqueles livros que a gente nunca se cansa de olhar!

You Might Also Like

Book Haul: Dezembro

By January 11, 2016 novidades

Não teve muita novidade em dezembro porque eu nunca ganho livros de Natal. As pessoas acham que eu já tenho livros o bastante! What?! Livros nunca são o bastante!

Compras, Trocas & Livros Emprestados

Essa belezura foi o presente de Natal que eu me dei <3 Book Haul: Dezembro 2015

Duas trocas lindas que eu fiz pelo Skoob.

Book Haul: Dezembro 2015

Como já tem um tempo que eu li o último livro da série Instrumentos Mortais estou planejando reler tudo para depois pegar esse. #coragem

Book Haul: Dezembro 2015

O que chegou de parceria

A Novo Conceito me enviou esse caderno delícia que vai ser meu caderno de organização de 2016.

Book Haul: Dezembro 2015

Book Haul: Dezembro 2015

Book Haul: Dezembro 2015

Book Haul: Dezembro 2015

A editora também me enviou mimos e um marcador de página mágico de A Menina da Neve (resenha). Ele muda a imagem de acordo com a luz e tem tudo a ver com o livro!

Book Haul: Dezembro 2015

Book Haul: Dezembro 2015

Book Haul: Dezembro 2015

You Might Also Like

Dica do dia: Our Shared Shelf – o Clube do Livro da Emma Watson

By January 8, 2016 dica do dia

Emma Watson Book Club

É interessante observar a trajetória dessa atriz que eu comecei a gostar simplesmente porque retratava nos filmes uma personagem que eu gostava.

De discursos feministas à preocupação com trabalho escravo, passei a admirá-la por suas atitudes maduras, preocupação pelo próximo e pouca exposição da vida particular.

Eis que agora ela me surpreende novamente criando um Book Club para divulgar e conversar sobre suas leituras de cunho feminista e humanista.

Se você se interessa pelos assuntos, vale se juntar a outras tantas pessoas que querem compartilhar seus conhecimentos e aprender mais.


You Might Also Like

12 livros para 2016

By January 5, 2016 livros
12 livros para 2016

E aí gente? Estão esquentando as turbinas pra ler bastante esse ano? Eu vou ter que acelerar porque tô planejando ler bastante coisa!

You Might Also Like

Resenha: Eu Te Darei o Sol

By January 4, 2016 livros

Resenha: Eu Te Darei o Sol

Livro: Eu Te Darei o Sol
Autora: Jandy Nelson
Editora: Novo Conceito
Rating:
Skoob
Goodreads


Sinopse
Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia.

Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém.

Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU TE DAREI O SOL é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.


Capa & Diagramação

Eu confesso que gosto bem mais da versão da capa branca mas gosto dessa também. A capa segue o mesmo estilo para o outro livro da autora lançado aqui no Brasil. A diagramação interna é bem limpa e bonita.

Resenha: Eu Te Darei o Sol

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Eu demorei mais de 100 páginas para pegar o embalo dessa leitura. Demorei para me acostumar com a escrita e para me sentir parte da história. Os capítulos são beeeem longos (em média 60 páginas) e isso me assustou um pouco hehehe! Tinha horas que eu ficava meio cansada do ritmo daquele personagem e queria que o capítulo acabasse para dar um gás com o ponto de vista do outro personagem.

Depois da primeira metade do livro, porém, eu peguei o embalo e acabei lendo relativamente rápido. A Jude, que era uma personagem que eu não gostei no início do livro, se revelou muita rica em dramas e evolução pessoal. No final ela virou minha personagem preferida!

Resenha: Eu Te Darei o Sol

É interessante ler o livro de dois pontos de vista (até mesmo para os leitores que não gostam dessa tendência) pois os erros, a falta de comunicação e a relação entre os irmãos é o ponto chave na trajetória dessa família. O foco principal são os gêmeos mas a família toda constitui uma história de muito amor e carregada de realidade com dramas muito comuns no nosso cotidiano.

O que mais me agradou, como leitora, foi perceber a forma crua e muito próxima a realidade que a autora retrata vários problemas pessoais e de família e, como ela entrelaça tudo isso. Esse é um daqueles livros que a gente lê a instantaneamente começa a repensar a nossa vida e encontrar beleza nos desencontros e nas coisas que a gente só enxergava com mágoa ou raiva. Dá também aquela vontade de resolver algumas coisas que não ficaram bem resolvidas com alguém que a gente gosta, sabe?

“Penso em como a mamãe disse a Noah que era responsabilidade dele ser fiel ao seu coração. Nenhum de nós tem sido. Por que é tão difícil? Por que é tão difícil saber o que significa essa fidelidade?”

Posso dizer que 90% dos livros que eu leio tem romance e esse não foi diferente. Mas escrever um mocinho apaixonante, lindo, charmoso e frágil como esse poucos autores conseguem viu! Eu não vou contar nem o nome dele para não estragar a experiência de leitura caso você não tenha lido mas se você já leu já sabe de quem eu tô falando!

Não dá pra terminar essa resenha sem falar do quanto a arte está presente nesse livro e de como a maneira com que Jandy descreve a cabeça de um artista e o processo de catarse sofrido por eles é mágica! Além disso, a maneira como eles olham as coisas cotidianas é diferente de nós meros mortais hehehe! Amava a descrição de Noah dos cabelos de Jude em pontos variados da história.

Tem tanto assunto diferente e relevante sendo tratado nesse livro e até agora eu não sei com a autora conseguiu equilibrar tudo isso dando a importância necessária para todos eles mas não priorizando apenas um. É certo que todos as situações retratadas convergem para aspectos como ser fiel ao coração, se comunicar e amar àqueles que estão a nossa volta com seus defeitos e qualidades.

Eu Te Darei O Sol está num outro patamar de leitura jovem adulta, na minha opinião, pela quantidade de temas entrelaçados e por contar sobre 6 histórias de evolução e crescimento pessoal de forma crua, real e mágica ao mesmo tempo!

Agora eu entendo porque tanta gente gosta desse livro :D Altamente indicado para todos os públicos quer você goste do gênero ou não.

Resenha: Eu Te Darei o Sol

Você vai gostar se: gosta de histórias de crescimento pessoal, romances LGBT e histórias que envolvam arte.
Não leia se não gosta de: capítulos longos.
Ideias centrais: praia, arte, família, LGBT, morte, superstição.

You Might Also Like