web analytics

TOP 5: Personagens que eu gostaria de ser

By April 20, 2014 top 5

Oi pessoal!

Essa é a primeira postagem que eu fiz participando da blogagem coletiva do Rotaroots.

O tema é ’5 personagens que marcaram minha vida’ mas a descrição do tema me orienta a escrever sobre os personagens que eu gostaria de ser. Essas duas coisas são totalmente diferentes para mim, por isso vou escrever aqui sobre os personagens que eu gostaria de ser e deixo os meus personagens mais marcantes para um próximo post.

1. Hermione Granger

Top 5: Personagens que eu gostaria de ser Ela era my first pick desde o exato momento em que eu terminei de ler a frase tema desse mês. Tenho uma mistura de identificação e admiração por essa personagem. Primeiro porque temos algumas coisas em comum, coisas que me tornavam insegura durante minha infância e adolescência e ela me ajudou a superar, me auto afirmar, me aceitar e me reconhecer como sou (uau que profundo!). E também porque ela tem outras características que eu adoraria ter.

Eu também adoraria ter a aparência dela, os amigos dela, viver no mundo dela…

2. Joey Potter

Top 5: Personagens que eu gostaria de ser Essa personagem me marcou muito e participou da minha vida nos anos críticos da adolescência em que eu procurava alguma figura em quem me espelhar. Acho que todo mundo passa por essa fase né? De novo eu tinha alguma semelhanças com ela e por isso me identifiquei tanto. Fora isso, a Joey vivia naquele universo que era um sonho de cidade do interior nos EUA com amigos da vida inteira.

3. Rachel Green

Top 5: Personagens que eu gostaria de ser Linda, cheia de amigos que ela pode contar pra valer, morando em Nova Iorque e muito bem humorada. Quem não quer ser essa mulher?!

4. Cher Horowitz

Top 5: Personagens que eu gostaria de ser Acho que eu estou caindo no mesmo padrão aqui hehehe! Mas fazer o quê?! Eu já quis (ainda quero!) ser a Cher!

5. Lucy (Across the Universe)

Top 5: Personagens que eu gostaria de ser É claro que queria que minha vida fosse um musical dos Beatles! Já perdi a conta de quantas vezes assisti esse filme e adoro a personagem, o que ela defende e a trajetória dela durante a história.

You Might Also Like

Resenha: O Começo de Tudo

By April 18, 2014 livros, recomendo

Resenha: O Começo de Tudo

Livro: O Começo de Tudo
Autora: Robyn Schneider
Editora: Novo Conceito
Rating:
Skoob
Goodreads


Sinopse
O garoto de ouro Ezra Faulkner acredita que todo mundo tem uma tragédia esperando ali na esquina – um encontro fatal depois do qual tudo o que realmente importa vai acontecer. Sua tragédia particular esperou até que ele estivesse preparado para perder tudo de uma vez: em uma noite espetacular, um motorista imprudente acabou com a perna de Ezra, com sua carreira no esporte e com sua vida social.

Depois que perdeu o favoritismo ao posto de rei do baile, Ezra agora almoça na mesa dos losers, onde conhece Cassidy Thorpe. Cassidy é diferente de qualquer pessoa que Ezra tenha encontrado antes – melancólica e com uma inteligência mordaz.

Juntos, Ezra e Cassidy descobrem flash mobs, tesouros enterrados e um poodle que talvez seja a reencarnação do Grande Gatsby. À medida que Ezra mergulha nos novos estudos, nas novas amizades e no novo amor, aprende que algumas pessoas, assim como os livros, são difíceis de interpretar. Agora, ele precisa considerar: se uma tragédia já o atingiu, o que poderá acontecer se houver mais infortúnios?

O Começo de Tudo é um livro poético, inteligente e de cortar o coração sobre a dificuldade de ser o que as pessoas esperam, e sobre começos que podem nascer de finais trágicos.


Capa & Diagramação

Eu ouvi um certo burburinho de satisfação por aí com relação à capa desse livro. Comigo não foi diferente pois fiquei super animada! Quando eu gosto muito da capa de um livro eu não preciso nem de ler a sinopse antes de começar a ler. Eu não sei quanto a vocês mas eu gosto muito de mergulhar em um livro sem saber direito em que estou “me metendo”!

Amei a capa mas apesar de achar a ideia do desenho super condizente com a premissa do livro eu achei ela um pouco alegre demais e incompatível com o tom mais triste que eu percebi na maior parte da leitura. Ainda sim é uma capa linda, que chama muita atenção e que conservou todas as características da capa original. A diagramação do miolo é limpa, sem muita informação do jeito que eu gosto.

Resenha: O Começo de Tudo

Personagens, Enredo & Impressões gerais

No caso desse livro eu me joguei de olhos fechados. Confesso que demorei para lê-lo porque não estava conseguindo ter tempo e concentração o suficientes para sentar e ficar horas lendo. Mas não tem nada a ver com a qualidade da história nem nada. Era um momento de dificuldade minha mesmo.

O primeiro fator apaixonante nesse livro são os personagens. Wow! Eu sou o tipo de leitora que tenho um pouco de dificuldade de imaginar algumas coisas como personagens secundários (principalmente se são muitos!). Por isso, um dos fatores que eu levo em consideração para medir a qualidade dos livros (segundo meus parâmetros tá gente?) é a minha facilidade ou não de imaginar tudo nos mínimos detalhes. Eu não fico pensando nisso durante a leitura. Minha imaginação vai funcionando (ou não!) durante a leitura e criando a imagem, os trejeitos e os cenários com o subsídio no que o autor me oferece. É isso que me encanta tanto na literatura! A construção conjunta do leitor com o autor! É poder ler várias resenhas de um mesmo livro e ver tantas reações e percepções diferente de uma mesma história! Vou parar de divagar e continuar com essa resenha.

Durante a leitura do primeiro capítulo eu tinha certeza que a leitura seria super leve e teria um tom mais divertido e cômico. Minha primeira constatação continuou sendo verdade mas quanto à parte do “cômico” eu estava enganada.

Consigo dividir o livro em três momentos. O início que apresenta o personagem principal Ezra Faulkner (adorei o nome!) e seu entorno. A segunda parte se desenrola em um romance lindo, super cativante, que me fez marcar o livro inteiro com momentos e citações que valem a pena reler. E a terceira parte com um tom mais triste, lições de vida, reviravoltas e revelações.

“Ela tinha gostinho de tesouro escondido, balanços e café. Tinha gostinho de fogos de artifício, de coisa que a gente podia apenas chegar perto, mas nunca ter.”

A autora conseguiu abrangir vários aspectos da vida de um adolescente que passa por transformações, começa a perceber a vida como um adulto, recebe umas “chapuletadas” da vida que não são específicas da idade, tem problemas com a família e conhece o amor.

O ponto alto do livro para mim foi a personagem que se envolve amorosamente com o Ezra, a Cassidy Thorpe (todos os nomes são muito bons!). Em um certo momento do livro, ela ganha todos os holofotes, pois ela é apaixonante, divertida, energética e afeta a vida de Ezra fazendo-o pensar de modo diferente, viver coisas novas e enxergar tudo de modo renovado. Além disso tudo, sabemos que ela carrega um mistério pois nunca fala direito de sua família e transparece ao leitor que ela está passando por uma crise que não quer revelar a ninguém.

Outro aspecto que eu não posso deixar de abordar nessa resenha são as citações e as situações super atuais criadas pela autora para envolver a história. Não dá para contar nos dedos das mãos as várias citações a Harry Potter, video games, séries que acontecem durante o livro. E um momento que coube na história de forma muito natural e que gera uma cena memorável para mim aconteceu durante um flashmob em um centro de compras.

Resenha: O Começo de Tudo

Falando na autora, ao ver a foto dela no orelha do livro eu tinha a certeza de já ter visto aquele rosto em algum lugar. Pesquisei seu nome e descobri que ela tem um canal no YouTube que fala de literatura em geral. Estou seguindo ela em todas as redes sociais agora porque ela é bem ativa na internet!

O final para mim foi surpreendente e poético e continuou a altura de tudo que eu mais valorizei no livro. Por isso eu indico muito, muito essa leitura para qualquer pessoa que goste de uma boa história e ame personagens profundos e cativantes.

Como de costume eu mostro para vocês a aparência que a minha mente impôs aos personagens na minha cabeça hehehe!

Resenha: O Começo de Tudo

Nat Wolff | Felicity Jones

Você vai gostar se: curte romances, finais improváveis, histórias coming of age.
Não leia se não gosta de: histórias sobre adolescência, crescimento e romance.
Ideias centrais: acidente, romance, adolescência.

You Might Also Like

Novidades: Unboxing dos lançamentos de abril da Novo Conceito

By April 12, 2014 livros, novidades

Unboxing: Novo Conceito Abril 2014

Decidi mostrar o que chegou da Novo Conceito nesse mês de maneira diferente! Me filmei abrindo a caixa e vendo pela primeira vez o ela trazia. No vídeo eu mostro rapidamente as capas de cada livro e alguns mimos extras mandados pela editora. Vou mostrando mais detalhes sobre cada livro na medida em que eu for lendo.

 

You Might Also Like

Resenha: Outros Reinos

By April 7, 2014 livros, recomendo

Resenha: Outros Reinos

Livro: Outros Reinos
Autora: Richard Matheson
Editora: Bertrand Brasil
Rating:
Skoob
Goodreads


Sinopse
1982. Famoso por sua série Meia-noite, o escritor Alex White, que adotou o nome Andrew Black, decide narrar uma experiência que beirou o surreal e aconteceu há 64 anos. Uma história que ocorreu quando ele ainda era jovem, é a mais pura verdade (por incrível que pareça) e mudou sua vida.

1918. Aos 18 anos, Alex White, jovem soldado norte-americano, é ferido nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial. Em vez de voltar para os Estados Unidos, ele se muda para Gatford, na Inglaterra, tentando escapar de seu pai e de seu passado. A bucólica aldeia inglesa parece o lugar ideal para que sua alma e seu corpo fechem as cicatrizes de guerra. Mas dizem que as florestas ao redor da cidade são habitadas por espíritos levianos e até malévolos – isso deve ser história da carochinha. Não é mesmo?

Alex conhece Magda Variel, uma viúva ruiva e atraente que, segundo rumores, é bruxa. Ela o alerta a se manter afastado da floresta e do perigoso reino encantado que o cerca, mas Alex se mostra cético quanto a tudo o que ela e seus poucos amigos lhe dizem, e não consegue evitar o local. Afogado em tantos mistérios, ele encontra o amor e o perigo… além de maravilhas que mudarão para sempre sua forma de ver o mundo.


Capa & Diagramação

Tenho certeza de que olhando na tela do computador ninguém dá nada pela capa desse livro. Mas vocês precisam ver essa capa ao vivo! Além de ter relevo alto, o título é impresso em dourado fosco assim como os “estilhaços” que caem das palavras. Tem tudo a ver com a história mas não quer falar muito para não correr o rico se soltar um spoiler. A diagramação é super limpa com uma ilustração linda no início e detalhes em cada início de capítulo.

Personagens, Enredo & Impressões gerais

Em primeiro lugar devo dizer que eu não tinha noção de quem era esse tal de Richard Matheson e fiquei me sentindo super atrasada ao ver que todo mundo comentava alguma coisa sobre ele e eu nem tinha noção da grandiosidade das obras desse cara. Depois que tive ideia de um pouco da dimensão e importância do trabalho dele para a literatura e para o cinema fiquei sabendo que ele faleceu no ano passado. #chateada

Apesar de tratar de temas parecidos com de outras histórias populares a maneira que o autor descrevia os personagens, ações e lugares provocava um “uau!” na minha cabeça a cada 10 páginas. O estilo de narrativa e os aspectos tratados na hitória eram “meio” que inéditos pra mim me surpreendendo o tempo todo! Esse sim é um livro nada clichê e nada previsível! Pelo menos pra mim que não tenho muita experiência nesse estilo literário. Tudo que eu li de sobrenatural até hoje é voltado para o público infanto-juvenil ou jovem adulto.

Resenha: Outros Reinos

Richard equilibra fatos trágicos, nojentos e horripilantes com uma narrativa super leve e descontraída. Tinha tudo para dar errado mas deu super certo! A maneira como o autor posicionou o ponto de vista fez toda a diferença na história. Isso acontece pois o livro é contado pelo escritor Alexander White, que durante a escrita do livro, tem 82 anos mas conta o que viveu na sua adolescência.

A leitura flui bem suave pois senti como se Alex estivesse me contando uns “casos” de sua vida tamanha era a informalidade da escrita. Porém de maneira alguma a informalidade me pareceu artificial e forçada. Acredito que isso seja bem difícil de balancear e admiro muitos os autores que atingem esse equilíbrio.

“Então perguntei:
– Vou perder tudo a partir de agora?
Balançou a cabeça. Abriu um sorriso bondoso.
– Não – respondeu. – Tudo que lhe é caro sempre permanecerá dentro de você.”

E o romance? Deus sabe que eu passo bom tempo sem achar um bom romance em todos os livros que leio! O romance da obra (que eu não vou descrever porque não quero dar spoilers) é lindo, delicado e sútil. Depois de todas as adversidades pelas quais o personagem passa o romance traz um sossego e uma paz para quem lê. Pena que o sossego não dura muito tempo (como o próprio Alexander White já vai avisando sempre quando vem problema pela frente).

Quando faltava cerca de 20% do livro para ler lembrei de adicioná-lo ao meu perfil do Goodreads e quando vi o rating do livro lá quase caí para trás! O rating lá é 2,74! Portanto concluí que ou eu estou muito enferrujada nesse estilo literário (sabe de nada inocente!) ou o pessoal estava esperando mais do autor considerando suas obras anteriores.

Resenha: Outros Reinos

Nesse livro, mais uma vez, minha imaginação ignorou a descrição física de alguns personagens e já determinou quais seriam suas aparências desde o começo. Como eu imaginei personagens ligados ao cinema e à TV vou mostrar para vocês o que me mente me impôs.

Resenha: Outros Reinos

Eric jovem em The Railway Man | Daenerys Targaryen em Game of Thrones

Você vai gostar se: gosta de literatura sobrenatural, reinos encantados, bruxas, fadas.
Não leia se não gosta de: literatura sobrenatural, triângulos amorosos.
Ideias centrais: reinos encantados, floresta, bruxas, fadas.

You Might Also Like

5 on 5: Abril

By April 5, 2014 5 on 5, projetos

Nesse mês, eu e as meninas combinamos que iríamos mostrar nossas mesas “de trabalho”. Temo que minha fotos não ficaram assim tão interessantes pois gosto de manter minha mesa com pouca coisa e, também, pois prezo a funcionalidade mais que a estética. Até hoje não consegui bolar uma mesa que funcionasse pra tudo que eu preciso e ainda ficasse linda.

5 on 5: Abril

5 on 5: Abril

5 on 5: Abril

5 on 5: Abril

5 on 5: Abril

1. Uma visão geral da minha mesa.

2. Um case para lápis, canetinhas e etc que comprei durante meu intercâmbio. Tem uma outra peça desse conjunto para armazenar papéis mas ela não fica na minha mesa porque gosto de deixá-la com algum espaço disponível.

3. O caderninho fica sempre na mesa pois me organizo com a ajuda dele. Tudo que lembro anoto nele. Essa é a página da lista de tarefas do blog. O bloquinho em cima do caderno é uma espécie de post it.

4. Minha mesa também faz a função de criado-mudo por isso as minhas leituras do momento ficam ali no cantinho.

5. Meu iPod que serve como despertador, som, câmera fotográfica, faz a previsão do tempo e mais algumas coisinhas.

Não se esqueçam de visitar as meninas que estão participando desse projeto comigo: Quase de Manhã, Maine, Palavras Aleatórias e Fueron Felices y Comieron Perdices.

Acompanhe o New Romantic: FANPAGE | INSTAGRAM | TWITTER | YOUTUBE

You Might Also Like

TOP 5: Livros que eu gostaria de ver no cinema

By April 3, 2014 livros, top 5

TOP 5: Livros que eu gostaria de ver no cinema

1. Calafrio – Maggie Stiefvater
Eu li esse livro em 2010 e nem me lembro dos detalhes da história direito. Eu lembro, no entanto, que era incrível pois trazia o mundo dos lobos de uma forma bem diferente das histórias mais populares e tinha um romance muito cativante. Eu queria ver esse filme adaptado de uma forma bem crua e com atores desconhecidos!

2. A Seleção – Kiera Cass
Imagina ver todo o glamour real na tela do cinema?! Castelos, vestidos, gente linda e rica!

3. A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista – Jennifer E. Smith
Porque qualquer motivo é motivo para ver um romance lindo no cinema e, sobretudo, qualquer motivo é motivo para se ver Londres.

4. Delírio – Lauren Oliver
Eu amei essa distopia porque o romance nela é muito forte e as reviravoltas me fizeram sofrer horrores! Eu não consigo imaginar a a personagem principal com outra cara que não seja a da Saoirse Ronan (linda!). Há algum tempo estava em produção uma série de TV do livro que traria a Emma Roberts como Lena. Parece, porém, que o episódio piloto não muito bem-sucedido e desde então não tenho ouvido falar mais nada. #triste

5. Anjo Mecânico – Cassandra Clare
Eu AMO as obras da Cassandra Clare e fiquei bem decepcionada com a adaptação de Cidade dos Ossos para o cinema. Mas não perco as esperanças de ver uma adaptação digna da série As Peças Infernais!

Quais os livros vocês gostariam de ver no cinema?

You Might Also Like